Durante este verão diferente de 2020 aproveitei para me dedicar a uma investigação de cariz histórico que pensava não acabar tão cedo e, pelo caminho, encontrei referências curiosas a Elvas que não esperava encontrar ali.

Não resisto a partilhá-las porque além de serem um apontamento breve traduzem também uma imagem muito agradável do que era a cidade e seu ambiente:

“Estive em Elvas, na Porta da Tapada 1h… Chegámos incógnitos, muito divertido. Passeámos todos a pé. Abriram a Sé. Comprei ameixas. Vila com carácter que gostei de rever. Reconheci tudo. Todos muito amáveis. Vivas…” 

Retirado do diário da Rainha D. Amélia, ano 1901. Passou-se no dia 11 de Dezembro e vem no contexto de uma estadia em Vila Viçosa e durante a qual a família real tenta passar incógnita nas vilas, mas foi sempre reconhecida pela população nas terras por onde passou.  

Aqui fica a memória dedicada aos Elvenses.

Tiago Matias é licenciado em Estudos Europeus pela Faculdade de Letras de Lisboa

 

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Opinião

Veja também

Aumenta para 31 número de infetados em surto no hospital de Beja

O número de profissionais de saúde infectados no surto de covid-19 identificado no bloco o…