O Tribunal Judicial de Évora decretou hoje a prisão preventiva de uma mulher suspeita de crimes através do MBWay, detida pela Polícia Judiciária (PJ), na terça-feira, juntamente com dois homens, no Alentejo, disse fonte policial.
A fonte da PJ indicou à agência Lusa que a mulher  foi submetida hoje a primeiro interrogatório judicial no Tribunal de Évora, que lhe decretou a medida de coação mais gravosa, tendo sido encaminhada para o Estabelecimento Prisional de Tires, no concelho de Cascais, distrito de Lisboa, onde vai aguardar o desenrolar do processo.
Um dos suspeitos, detido também na terça-feira, foi igualmente presente hoje ao mesmo tribunal e ficou sujeito a apresentações quinzenais na força de segurança da área de residência, adiantou a mesma fonte.
O outro suspeito, segundo a fonte policial, foi detido devido a detenção de arma e munições proibidas, tendo sido libertado posteriormente e ficado sujeito a termo de identidade e residência, passando o processo à fase de inquérito.
A operação da Polícia Judiciária desenvolvida na terça-feira no Alentejo e em outras zonas do país por suspeitas de crimes através do MBWay culminou em três detidos e “mais de 70 arguidos”, segundo fonte policial.
Em declarações à Lusa, na terça-feira, a mesma fonte indicou que três pessoas, dois homens e uma mulher, com idades entre os 24 e os 40 anos, tinham sido detidas em Campo Maior e Monforte, no distrito de Portalegre.
Além disso, na operação, designada “Way of Life” e que abrangeu também buscas em Avis (Portalegre), Loures (Lisboa), Almeirim (Santarém) e Figueira da Foz (Coimbra), “há mais de 70 arguidos”.
“Foram também apreendidos dezenas de telemóveis e cartões SIM, ouro e dinheiro”, acrescentou a fonte.
Segundo indicou hoje fonte policial, o produto da apreensão “está ainda a ser contabilizado”.
Na terça-feira, em comunicado, a PJ explicou que a operação, realizada em conjunto com o Comando Territorial de Portalegre e a Unidade de Intervenção – Operações Especiais da GNR, deu cumprimento a 51 mandados de buscas domiciliárias e mais de 10 buscas não domiciliárias.
O objetivo foi “recolher elementos probatórios em mais de uma centena de inquéritos em investigação, todos versando o crime de burla informática e nas comunicações no fenómeno conhecido como ‘Burla por MBWay’”, é indicado no comunicado.
Dois dos suspeitos foram detidos fora de flagrante delito, por mandados emitidos pela autoridade judiciária competente, enquanto outro foi detido em flagrante delito, por detenção de arma e munições proibidas, precisou a PJ.
Os três suspeitos, residentes nos concelhos de Portalegre e Elvas e com antecedentes criminais, estão “indiciados por crimes de burla informática e nas comunicações”, acrescentou a PJ.
As investigações relacionadas com esta operação iniciaram-se em 2019 e estendem-se “até à atualidade”, por suspeita da prática reiterada de crimes de natureza informática, que resultou “num enriquecimento ilícito de cerca de 200 mil euros”, realçou a PJ.
Na terça-feira de manhã, fonte policial afirmou à Lusa que cerca de 300 inspetores da PJ e militares da GNR estavam envolvidos na operação, que foi realizada em simultâneo nas localidades abrangidas pelas buscas.
Durante a operação “Way of Life”, os bairros de São Sebastião, em Campo Maior, e do Rossio, em Monforte, foram mesmo cercados pelas autoridades policiais, tendo sido realizadas “buscas em quase todas as casas”, salientou a fonte.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Pedro Trindade Sena
Carregar mais artigos em Actual

Veja também

António Cachola em entrevista: “O que mais admiro no trabalho dos artistas é a capacidade de nos anteciparem o futuro nas suas obras”

O mês de Julho é especial para o coleccionador António Cachola, para o Museu de Arte Conte…