O presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Alentejo, António Ceia da Silva, afastou hoje o perigo de devolução de verbas do atual programa operacional regional e prometeu a sua execução plena em 2023.
“Não há perigo de devolução de verbas. Há é o perigo de não haver verbas suficientes e alguns projetos terem que transitar para o [próximo quadro comunitário] 2030”, afirmou o presidente da CCDR do Alentejo, António Ceia da Silva.
O responsável falava aos jornalistas à margem de uma sessão para autarcas, na sede da CCDR, em Évora, integrada na Semana Europeia das Regiões e Cidades, organizada pelo Comité das Regiões Europeu e pela Comissão Europeia.
Questionado pela agência Lusa, Ceia da Silva indicou que a taxa de execução do atual programa operacional regional Alentejo 2020 aumentou no último ano, pois, “em finais de setembro” era de “cerca de 53%” e “há um ano” estava nos “33%”.
“Vamos cumprir, em final de dezembro, os 60%” de execução do Alentejo 2020, que “foi o nosso compromisso com a Agência para o Desenvolvimento e Coesão (ADC) e com o próprio Ministério da Coesão Territorial”, sublinhou.
Além do objetivo de atingir, no final deste ano, “uma taxa de 60%”, Ceia da Silva adiantou que terá de haver um incremento de 20 pontos percentuais na execução do programa operacional em 2022 e de outros tantos em 2023, para se atingir então o pleno.
O presidente da CCDR do Alentejo referiu que o Alentejo 2020 tem “uma taxa de compromisso muito superior aos 100%”, pelo que “há um conjunto de ajustamentos a fazer”, nomeadamente em relação aos projetos das câmaras municipais.
“Há que reformular projetos e há projetos que transitam para o próximo quadro comunitário” e outros que “podem ser reforçados neste”, frisou, indicando que as reuniões com os municípios arrancam ainda este mês.
Sobre o próximo quadro comunitário, Ceia da Silva revelou que está “praticamente concluído” e que “as diversas opções políticas serão discutidas, ainda em outubro, com a Comissão Europeia”
“Teremos os primeiros avisos em janeiro” de 2022, indicou, remetendo para a “altura própria” a divulgação de mais detalhes.
O programa comunitário Alentejo 2020 tem uma dotação global de cerca de 1.082 milhões de euros.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Destaque Principal

Veja também

Borba: Substituído relvado sintético no parque desportivo

O relvado sintético do campo de futebol no Parque Desportivo de Borba foi substituído, fru…