Estou INDIGNADO!!! Estou MAGOADO!!! Estou FARTO!!! Estou mesmo ZANGADO!!!

Sou agricultor há mais de 40 anos e tenho muito orgulho e vaidade em ser a 5.ª geração de uma família (o meu filho já é a 6.ª), que quer do lado materno, quer do lado paterno, se tem dedicado com honra, dignidade, dedicação, respeito, com muito trabalho, suor, sem férias, sem fins-de-semana, sem horários, de dia e de noite, à missão principal dos AGRICULTORES neste mundo, que é dar de comer e produzir alimentos para as POPULAÇÕES.

Há já alguns tempos, que tenho ouvido, lido e infelizmente também visto, por parte de fundamentalistas, animalistas, ignorantes, mentirosos e principalmente invejosos, um ataque cerrado aos agricultores, ao sector agrícola, pecuário e florestal, como se nós fossemos uns criminosos da Humanidade ou uns malfeitores deste Mundo.

Criminosos e Malfeitores, foram e são todos aqueles que defendem e defenderam os regimes políticos de “ESTALINE” “LENINE” e “HITLER” e outros ditadores bem conhecidos, esses sim verdadeiros assassinos e dizimadores de Seres Humanos.

Ser Agricultor, a profissão mais antiga e mais digna do mundo e se a Agricultura existe, é porque há milhares de anos, DEUS escolheu umas quantas MULHERES e HOMENS e lhes disse – “Vocês foram criados para produzir alimentos e servir o Próximo”.

Foi isso que nós temos feito ao longo de séculos e séculos, com respeito por todos, pela terra onde trabalhamos, pela fauna e pela flora, pela biodiversidade, pelo ambiente que nos rodeia, pelo amor ao MUNDO RURAL e se assim não tivesse sido, já não estaríamos hoje, aqui e agora, porque há muito teríamos morrido à FOME.

Para os mal informados, sem conhecimento do que dizem, do que escrevem e do que transmitem, quero-lhes dizer que a intensificação da agricultura, tão criticada indevidamente, é não só indispensável como também necessária e imprescindível.

Com, cada vez menos área na terra para produzir alimentos e cada vez mais gente para alimentar (seremos cerca de 10.000 milhões em 2030), como é possível dar de comer a todos?

A única forma para produzir alimentos suficientes, baratos, de qualidade, sustentáveis, com respeito pelo ambiente como sempre fizeram os agricultores ao longo dos séculos, é com aumentos da produtividade através da tecnologia, da ciência, da inovação, utilizando métodos de produção ambientais controlados e certificados.

Para terminar, gostava de fazer um convite e estou a falar a sério a todos aqueles que ultimamente através da comunicação e redes sociais, têm tentado insultar e de uma forma muito bem organizada, preparada, planificada, com objectivos e intenções claras (tiro aqui o meu boné), tentam denegrir e ferir a dignidade e honra dos AGRICULTORES e da AGRICULTURA.

O meu convite, é para todos os que querem conhecer e ver com os próprios olhos uma exploração agrícola no ALENTEJO, concretamente em ELVAS, estou disposto a abrir a minha Casa Agrícola a quem quiser vir por bem, por interesse em conhecer, por ver a realidade e a verdade, para nos ensinarem também, porque muitos dos que falam, escrevem e comunicam, se calhar nunca entraram numa exploração agrícola.

Esta exploração, tem SEQUEIRO (cereais, proteaginosas, bovinos, suínos, equinos, prados, pastagens, montado de azinho e sobro, olival tradicional) e tem também REGADIO (cereais, oleaginosas, amendoal e olival em sebe).

Na Agricultura, como em todos os outros sectores da Economia, também há pessoas irresponsáveis, que não sabem ser agricultores, muito menos empresários agrícolas, que já cá não deviam estar, mas felizmente não somos todos iguais e a esmagadora maioria dos agricultores aos quais eu pertenço, somos pessoas equilibradas, sensatas, conscientes, sérias, profissionais, amigos do ambiente, que vivemos no e do campo e que queremos tal qual como eu, transmitir às gerações vindouras aquilo que as gerações passadas nos souberam transmitir.

Cá os esperamos

José Eduardo Gonçalves (Bi)

Agricultor

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por João Alves e Almeida
Carregar mais artigos em Opinião

Veja também

MAI destaca “papel fundamental” da GNR durante estado de emergência

O reconhecimento ao trabalho dos militares da Guarda Nacional República durante o estado d…