A Comissão Municipal de Proteção Civil de Vila Viçosa, no distrito de Évora, contestou hoje o corte ao trânsito de um troço da Estrada Nacional (EN) 254, junto de uma pedreira, e reclamou alternativas adequadas.
Em comunicado enviado à agência Lusa, a Comissão de Proteção Civil lamenta a decisão da Infraestruturas de Portugal (IP), que procedeu ao corte definitivo do trânsito na EN254 entre Vila Viçosa e Bencatel e interditou o tráfego de pesados no troço da EN255 entre Vila Viçosa e Pardais, sem “alternativas adequadas”.
No documento, a Proteção Civil local alerta que a medida implica “graves prejuízos sociais para as populações e económicos para as empresas do concelho e da região”.
A decisão da IP, sobre estas estradas, junto a pedreiras situadas no concelho de Vila Viçosa, já provocou protestos e manifestações por parte da população de Bencatel e a contestação do município, dos presidentes das juntas de freguesias de Bencatel e de Pardais e do PCP.
Segundo a estrutura municipal, a “decisão tomada pela IP” merece contestação por “reduzir significativamente o grau de resposta dos meios de socorro em caso de eventuais ocorrências de doenças ou de sinistro” e por “multiplicar a distância a percorrer entre a sede de concelho e as freguesias de Pardais e de Bencatel”.
A comissão municipal pretende “exigir que a Infraestruturas de Portugal encontre rapidamente as soluções e alternativas para que a circulação rodoviária” seja “efetuada com elevados índices de segurança e na distância mais curta, mantendo os níveis de proximidade atual”.
Na nota, é solicitado à IP que “preste esclarecimento” relativo “às informações/pareceres” que conduziram à sua decisão.
A tomada de posição foi enviada para a Infraestruturas de Portugal, Presidência da República, primeiro-ministro, órgãos governamentais da tutelam e grupos parlamentares da Assembleia da República, assim como para as câmaras municipais e respetivas assembleias municipais de Alandroal, Borba e Redondo.
Em declarações à Lusa, a 20 de janeiro, fonte oficial da IP, anunciou o corte definitivo ao trânsito da EN254 junto a Bencatel, no concelho de Vila Viçosa, a partir do dia 22 de janeiro, por questões de segurança, devido à proximidade de uma pedreira.
A mesma fonte revelou que a decisão estava relacionada com a proximidade daquela estrada da pedreira “Monte d’el Rei”, que tem cerca de “134 metros de profundidade” e que se encontra a cerca de 30 metros da via, quando deveria estar “a mais de 400 metros”.
A IP disse estar, juntamente com a câmara, a tentar “encontrar uma solução” alternativa para a circulação entre Vila Viçosa e Bencatel.
Na altura, a mesma fonte revelou também que a IP faria uma intervenção na EN255, entre Vila Viçosa e Alandroal, para permitir a circulação de pesados, interdita devido à proximidade de outra pedreira.
Em relação a esta via, a Câmara de Vila Viçosa revelou, no dia 25 de janeiro, que a interdição do trânsito a veículos pesados estava em “vias de resolução”.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Destaque Principal

Veja também

Forte de Santa Luzia recebeu visita teatralizada

O Forte de Santa Luzia recebeu na manhã deste sábado, 13 de agosto, uma visita teatralizad…