O Sindicato dos Professores da Zona Sul (SPZS) contestou hoje, dia 15 de Maio, o processo de municipalização da educação no concelho do Crato, através de um protesto durante a recepção ao ministro Nuno Crato no âmbito da sua visita à localidade alentejana.

O SPZS critica “o secretismo que tem rodeado” o processo de municipalização da educação no concelho, tendo entregue “um documento” ao governante exigindo “em nome dos professores a suspensão do referido processo e um debate público sobre o mesmo”.
Ao SPZS foi assegurado pelo presidente da Câmara Municipal, Correia da Luz, que “não se trata de um processo negociado às escondidas com o Ministério da Educação e Ciência, no entanto, o sindicato “nunca obteve resposta à questão colocada de o Conselho Geral do Agrupamento de Escolas do Crato não ter sido consultado conforme a legislação estabelece”.
Correia da Luz afirmou ao SPZS que o sindicato irá ser recebido brevemente na Câmara.

 

 

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Actual

Veja também

Liga dos bombeiros lamenta que INEM anuncie meios que já existem nas corporações

A Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) lamentou hoje que o INEM tenha anunciado o reforço …