O acidente ocorreu a três quilómetros do final da tirada entre Bousaid e Tagounite, em Marrocos, que tinha um total de 466 quilómetros de extensão, 448 deles cronometrados.

O piloto português Armindo Neves (SWM), de 52 anos, morreu na quarta-feira no decurso da segunda etapa da África Eco Race, que liga o Mónaco a Dakar, no Senegal, confirmou a Federação de Motociclismo de Portugal (FMP).

“O que se sabe é que sofreu uma queda, no final da segunda etapa, e não resistiu aos ferimentos”, disse à Lusa Manuel Marinheiro, presidente da FMP.

O acidente ocorreu a três quilómetros do final da tirada entre Bousaid e Tagounite, em Marrocos, que tinha um total de 466 quilómetros de extensão, 448 deles cronometrados.

Armindo Neves era natural de Avis, mas residia em Santiago do Cacém, onde era empresário.

Corria em todo-o-terreno desde 1989, tendo sido campeão nacional de veteranos em motociclismo em 2019.

Esta era a primeira participação na prova africana, que vai na 14.ª edição, e surgiu como alternativa ao rali Dakar de todo-o-terreno, quando a mítica maratona abandonou África para a América do Sul, na sequência de ameaças terroristas que levaram ao cancelamento do Lisboa-Dakar de 2008.

O África Eco Race tem 12 etapas e termina em 30 de outubro, no Lago Rosa, em Dakar.

Armindo Neves é o segundo piloto português a morrer numa prova de todo-o-terreno, depois de Paulo Gonçalves ter morrido na sequência de uma queda sofrida na sétima etapa do rali Dakar, em 2020.

Foto: redes sociais

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Actual

Veja também

Elvas: Presépios de playmobil para ver na Casa da Cultura

A Casa da Cultura, em Elvas, vai acolher, a partir de 8 de Dezembro, a exposição “Presépio…