Duas conferências de Imprensa promovidas pelas autoridades chinesas mereceram grande atenção internacional.

Numa delas foram anunciados os principais dados económicos da China relativos ao passado mês de Abril.

Perante a grave situação internacional e o impacto causado pela pandemia no mercado doméstico, a economia sofreu estagnação e registou queda nos principais índices económicos. Mas o porta-voz da Administração Nacional de Estatística da China referiu que isso não mudará a estabilidade económica do país, nem a sua alta resiliência, grande potencialidade e vasto espaço de desenvolvimento.

A outra conferência de imprensa, realizada em Xangai, focou a mais recente situação do combate à pandemia nesta cidade. Na ocasião, foi informado de que Xangai eliminou a transmissão de Covid-19 em 15 de seus 16 distritos. Em junho restaurou a rotina normal na região, com medidas padrão de prevenção e controle a evitarem qualquer ressurgimento da Covid-19.

Os responsáveis sublinharam que a prioridade da vida e a saúde da população é o princípio básico das medidas de prevenção e controle da pandemia na China. Embora essas medidas afetem a produção e a rotina de algumas áreas no imediato, já foi provado que somente o controle da pandemia pode criar condições favoráveis ao desenvolvimento económico.

A partir dos dados divulgados pelas autoridades chinesas, conclui-se que a China mantém a vantagem de ser um mercado gigantesco, com tendência de estabilidade das operações económicas.

O total de vendas de bens de consumo atingiu 2.900mil milhões de yuans, o volume total de importação e exportação foi de 3.200 mil milhões de yuans, a produção de aço foi de 110 milhões de toneladas e a produção de carvão bruto atingiu 360 milhões de toneladas.

Ao mesmo tempo, a tendência da economia chinesa para um desenvolvimento de alta qualidade não se alterou.

A resiliência de novas indústrias, novos modelos de negócio e novos modos de funcionamento foi evidente sob o impacto da pandemia, e a tendência de digitalização, tecnologias de informação e transformação inteligente continuou.

O governo chinês intensificou seus esforços para ajustar as macropolíticas e intensificou as medidas para ajudar as indústrias e empresas afetadas, as quais também contribuíram para a recuperação económica.

É com base nisso que as empresas globais continuam a investir na China. Nos primeiros quatro meses deste ano, o uso real de capital estrangeiro em todo o país foi de 478,61 mil milhões de yuans, um aumento anual de 20,5%.

Com um enorme mercado de mais de 1,4 mil milhões de pessoas e 400 milhões de pessoas de rendimento médio, um sistema industrial completo e uma indústria transformadora com uma excelente capacidade de fornecimento, juntamente com a contínua expansão da abertura e a promoção da construção de uma zona de comércio livre, a economia chinesa está a acumular condições favoráveis para um crescimento estável em todas as frentes.

Daí que os responsáveis chineses afirmem que a pandemia não mudou a tendência de operação estável da economia chinesa, nem abalará a determinação da China em expandir a abertura, obter benefícios mútuos e resultados vantajosos para o mundo.

Conteúdo Institucional CMG.

Artigo publicado em parceria com a Associação Portuguesa de Imprensa

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Ana Maria Santos
Carregar mais artigos em Destaque Principal

Veja também

Como escolher um casino online fidedigno

Apesar dos casinos online estarem mais populares que nunca, escolher um casino fidedigno é…