A Agência Espacial Portuguesa leva a cabo, pelo terceiro ano consecutivo, o EuRoC – European Rocketry Challenge, a competição de lançamento de foguetes que se destina a estudantes universitários de vários países da Europa, que este ano conta com 20 equipas de onze países.

Este ano, o EuRoC recebeu o maior número de candidaturas de sempre: ao todo, mais de 40 equipas europeias demonstraram interesse em participar na competição. Este aumento das candidaturas reflete um franco crescimento da competição e a sua afirmação junto das universidades europeias.

“A competição está madura o suficiente para crescer. Foi por isso que acrescentamos mais dias à competição, decorrendo ao longo de uma semana. Para além disso, sabemos que o EuRoC está a despertar interesse junto de universidades portuguesas que recentemente criaram uma licenciatura em Engenharia Aeroespacial, como é o caso da Universidade de Aveiro”, constata Marta Gonçalves, gestora de projetos educativos da Agência Espacial Portuguesa.

Portugal tem este ano a maior representação de sempre na competição, com um total de três universidades: uma equipa do Instituto Superior Técnico – RED – e uma equipa que junta a Universidade da Beira Interior e Universidade de Coimbra – Fénix Rocket Team.

A equipa RED, composta por 48 membros, foi criada em 2017 no Instituto Superior Técnico e participa pela terceira vez no EuRoC. À semelhança das restantes equipas, a RED reflete a multidisciplinariedade do Espaço: entre as formações dos participantes, estão as áreas de engenharia mecânica, de engenharia aeroespacial, de engenharia eletrotécnica e de computadores, de engenharia electrónica e de engenharia física e tecnológica.

A Fénix Rocket Team, criada em 2021, é uma equipa composta por 41 alunos das Universidades de Coimbra e da Universidade da Beira Interior. As áreas de estudo dos participantes variam entre a engenharia aeronáutica, a engenharia física, a medicina, a biologia, a astrofísica e engenharia eletrotécnica. Esta é, a par de uma equipa suíça, a única equipa que junta estudantes de mais do que uma universidade.

Entre os vários objetivos de todas as equipas, verifica-se o ponto em comum de ambicionarem ultrapassar os seus limites, tentando obter sucesso na conceção, lançamento e recuperação dos foguetes, de forma a registarem evoluções positivas e a detectarem o que pode ser melhorado, tudo isto como contribuição para o desenvolvimento do sector.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Destaque Principal

Veja também

Elvas: Autocarro ‘preso’ junto à Capela de Nossa Senhora da Nazaré

Um pesado de passageiros ficou hoje preso na entrada do estacionamento junto à Capela de N…