A Santa Casa da Misericórdia de Portalegre (SCMP) assinou contrato para a criação de uma Comunidade de Energia Renovável (CER) com a empresa Cleanwatts. A CER terá uma central fotovoltaica de 181.9 kW e permitirá a esta IPSS apoiar mais de uma centena de famílias, com uma tarifa social comunitária de 14 cêntimos por kWh, cerca de 30% inferior às atuais tarifas de mercado. Para além disso, este projeto, com forte impacto ambiental, aumentará a neutralidade carbónica da instituição em 91%, assegurando uma independência energética de cerca de 40%.

A central fotovoltaica vai ser instalada na cobertura do edifício sede, situado na Av. da Liberdade, mas irá fornecer igualmente energia ao Centro Infantil de São Lourenço. “Responder aos utentes, contribuir para uma sociedade efetivamente mais equitativa, não será possível sem a capacidade de olhar para além das paredes da nossa instituição, desafiando o futuro, alinhando o presente com a modernidade emergente. A SCMP pauta a sua ação pela inovação, pela rentabilidade e pela inteligência. Ao procurar criar uma Comunidade de Energia, procura a SCMP criar laços e promover a adoção de práticas inteligentes de recursos na comunidade”, realça Luísa Moreira, Provedora da SCMP, frisando que este projeto está “perfeitamente alinhado com a missão da instituição: servir a comunidade e, simultaneamente, contribuir de forma inteligente e sustentada para o desenvolvimento e sucesso do território que integra”.

“Recentemente, com a invasão da Rússia à Ucrânia, o mundo foi confrontado com a urgência de repensar os fornecimentos energéticos, bem como alterar a lógica de organização das políticas geográficas. A SCMP não ignora o mundo em que vive e, com a criação de uma Comunidade de Energia, pretende desenvolver consumos concertados, mais económicos, capazes de ser motor de mudança na máquina gigante e pesadamente poderosa que é o mercado energético”, conclui a responsável.

Maria Benquerença, Diretora de Comunidades de Energia da Cleanwatts, afirma que é “uma satisfação poder criar uma Comunidade de Energia com a Misericórdia de Portalegre, principalmente por se tratar de uma IPSS, um tipo de organização com a qual gostamos muito de trabalhar, porque muito mais facilmente conseguimos cumprir os nossos desígnios de combater a pobreza energética e apoiar as famílias e instituições que mais precisam. Talvez por isso, as Misericórdias têm sido um dos atores privilegiados na criação de CERs em Portugal”, frisou a responsável, recordando que “a primeira CER criada em Portugal, pela Cleanwatts, fez agora um ano e foi, justamente, com uma Santa Casa da Misericórdia, em Miranda do Douro”. Maria Benquerença está “francamente expectante quanto aos resultados e benefícios desta CER” e espera “poder continuar a replicar as CERs noutras Misericórdias do país”. Com este projeto, a SCMP apoiará diretamente mais de uma centena de famílias da sua comunidade, entre famílias de utentes e funcionários das suas respostas sociais.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Destaque Principal

Veja também

PSD questiona Governo sobre prazos e diminuição do investimento do hospital central do Alentejo

O PSD questionou hoje se o Governo pode garantir que a construção do Hospital Central do A…