Um total de 1.272 novos estudantes foi colocado em cursos da Universidade de Évora (UÉ), através da primeira fase do Concurso Nacional de Acesso (CNA), o que corresponde a 97% das vagas disponibilizadas, anunciou a academia.
“Os resultados do CNA foram muito positivos”, pois “as apostas nas áreas da saúde e da formação foram um sucesso e consolidámos outras em que já temos reconhecimento”, afirmou hoje à agência Lusa a reitora da UÉ, Hermínia Vasconcelos Vilar.
Segundo a instituição, para o novo ano letivo, foram disponibilizadas 1.313 vagas, distribuídas por 38 cursos de licenciatura e mestrado integrado, dos quais apenas cinco não ficaram preenchidos na totalidade.
Nas declarações à Lusa, a reitora da academia alentejana destacou que “a maior parte dos cursos ficou sem vagas” e que apenas sobraram 67 vagas para a segunda fase do concurso, distribuídas pelos cinco cursos.
“Há uma vaga em Matemática e em Engenharia e Gestão Industrial quatro”, precisou, adiantando que as engenharias Mecatrónica e das Energias Renováveis e o curso de Física e Química “ficam com mais vagas” por preencher.
Hermínia Vasconcelos Vilar realçou que estas 67 vagas por preencher vão passar para a segunda fase do CNA, que decorre desde hoje e até ao dia 23 deste mês, além de outras que possam “sobrar das matrículas”.
“Os últimos anos têm sido marcados por um número relativamente elevado de candidatos e temos esperança que assim continue, porque é importante continuar a assegurar às gerações mais jovens a aquisição de conhecimento e competências necessárias para fazer face aos desafios do presente e do futuro”, assinalou.
Estas colocações na UÉ, sublinhou a responsável, “demonstram que a aposta feita para este ano letivo, nomeadamente na área da Saúde, com a abertura do curso de Ciências Biomédicas, foi um êxito”.
“Também foram um sucesso as apostas que fizemos em cursos de formação, como é o caso da Biologia, Geologia e Matemática, e, por outro lado, consolidámos áreas onde já temos formação há muito anos e investigação”, salientou.
A reitora da UÉ disse que o resultado da primeira fase do CNA “confirma as competências” que a UÉ possui “em várias áreas”, de que resultou o preenchimento, já nesta fase, de 97% das vagas disponibilizadas.
“É um belíssimo resultado e esperamos que possamos vir a continuar este sucesso nos próximos anos, dependendo também do número de candidatos, mas temos toda a esperança de que esta tendência continue”, assumiu.
De acordo com a academia, nos últimos três anos, o número de estudantes colocados na primeira fase na academia alentejana tem vindo a aumentar, correspondendo a um crescimento acumulado de 28% relativamente ao ano letivo de 2019/2020.
A UÉ estima que o número de novos estudantes do primeiro ciclo ultrapasse os 2.000 no próximo ano letivo, somando-se aos resultados da primeira fase do CNA os colocados através das restantes vias de acesso.
Quase 50 mil alunos conseguiram entrar para o ensino superior na primeira fase do concurso nacional de acesso, em que só 19% dos candidatos não obtiveram colocação, segundo os resultados divulgados no domingo.
No total, são 49.806 novos estudantes no ensino superior público, o segundo maior número em 33 anos, superado apenas pelos quase 51 mil alunos que ficaram colocados na primeira fase do concurso em 2020.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Destaque Principal

Veja também

Motocross: Isaac Santos voltou ao pódio

Motocross: Isaac Santos voltou ao pódio …