A procura de gelo em Espanha atinge os  8 milhões de quilos por dia e só há capacidade produtiva para 2 milhões de quilos, dizem os produtores que, acrescentam,  “o pior ainda está para vir”.

A hotelaria rejeita que a escassez os esteja a afectar, embora admita “casos específicos”.

“A menor armazenagem de cubos de gelo, que a indústria realizou nos últimos meses de Abril e Maio devido ao aumento dos custos e as ondas de calor, desencadearam uma procura acima do normal, o que tem provocado uma escassez deste produto em pleno verão. No entanto, em hotéis e restaurantes está a afectar menos porque, em muitos casos, têm suas próprias máquinas de gelo”, explicou o director-geral da Procubitos Europa, Fernando Plazas, o maior produtor de cubos de gelo em Espanha, com 22% da capacidade nacional.

Este responsável tem afirmado que o pior ainda está para vir.”Há gelo, mas menos do que o mercado precisa”, disse Plazas, acrescentando que “quase ninguém previu esse aumento na demanda”.

Tempestade perfeita… por causa do gelo

É uma “tempestade perfeita”, nas suas palavras, que começou nos últimos meses de Abril e Maio, quando a indústria começou a armazenar cubos de gelo para poder responder à procura dos fortes meses de verão, Julho e Agosto.

“Por cada palete que entra nas câmaras frigoríficas que servem de armazém, são pagos 3 euros, mais outros 3 euros para a retirar, sendo entretanto pagos 50 cêntimos por cada dia de armazenamento. Isso significa que o preço do gelo se multiplica por dois ou três e por isso as empresas viram que não valia a pena armazenar”, explicou Plazas.

Soma-se a essa situação o facto que, com a chegada da primavera, “a actividade de lazer disparou com feiras, festivais e hospitalidade em geral”, e que Maio veio com uma onda de calor que gerou um pico de demanda ainda maior, o que limitou ainda mais a capacidade de armazenamento”.

Sem as quantidades que normalmente eram armazenadas para vender no verão, a indústria encontra-se este ano diante de um mês de Agosto com a procura aumentada devido à onda de calor e sem quantidades suficientes para satisfazê-la.

Os números

Em números, de acordo com os dados oferecidos por Plazas, em Espanha são produzidos cerca de 2 milhões de quilos de cubos de gelo por dia e é habitual que nos meses de primavera sejam armazenados outros 2 milhões de quilos por dia para atender à procura do verão, que é normalmente de 4 milhões de quilos ao dia.

Campo Maior e Elvas sem gelo

Oriundo quase na sua totalidade do país vizinho, os supermercados de Elvas e Campo Maior estão de prateleiras quase vazias deste produto nos últimos dias, devido não só à escassez da produção como ao aumento da procura devido ao calor, às festas e, também, da procura pelos nossos vizinhos espanhóis, cujas superfícies comerciais não têm tido gelo para vender aos seus clientes.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por João Alves e Almeida
Carregar mais artigos em Actual

Veja também

Romeiros: A tradição ainda é o que era

Romeiros: A tradição ainda é o que era …