O valor do comércio externo da China superou o equivalente a 526 mil milhões de euros em Maio, um aumento de 11,1%, de acordo com os números divulgados pela Administração Geral das Alfândegas chinesa. As exportações aumentaram 16,9% e as importações 4%.

Este crescimento nos primeiros 5 meses do ano, mesmo perante as dificuldades provocadas pela pandemia, demonstra a resistência e a capacidade de recuperação da economia chinesa.

Em particular, as exportações de comércio externo da região do Delta do Rio Yangtze recuperaram significativamente em Maio, à medida que a prevenção e o controlo da pandemia em Xangai e noutros locais se estabilizaram e melhoraram. O porto de Xangai, o maior porto de contentores do Mundo, voltou a ter grande movimento. De “navios à espera de mercadorias” em Abril, em Junho voltou-se a “mercadorias a espera de navios”.

De acordo com analistas internacionais, se a prevenção e controlo da pandemia na China continuar a ser eficaz e a procura continuar a ser forte a nível mundial, as exportações da China podem crescer 15% este ano.

Esta previsão optimista decorre, sobretudo, do facto da China ser um elo fundamental na cadeia de fornecimento global e da procura de bens chineses continuar a ser forte. Os dados mostram que, nos primeiros cinco meses deste ano, as exportações da China para o seu principal parceiro comercial ASEAN (Associação de Nações do Sudeste Asiático) atingiram 1,35 mil biliões de yuan, um aumento de 12%; as exportações para o seu segundo maior parceiro comercial, a União Europeia, cresceram 17,4%; e as exportações para o seu terceiro maior parceiro comercial, os Estados Unidos da América, cresceram 12,9%.

A confiança dos analistas provém também da circunstância de os fundamentos positivos da economia chinesa, a longo prazo, não terem mudado. “Está provado que o impacto da pandemia é apenas temporário, e que a abordagem da China à prevenção e controlo de epidemias se revela eficaz”.

O comércio externo é um barómetro da economia da China. No primeiro semestre deste ano, o comércio externo da China tem tido um desempenho estável, reflectindo a “forte resiliência da economia chinesa. E este é um facto positivo para a China e para o Mundo”. “A China tem a capacidade e as condições para manter um desenvolvimento económico estável e continuar a ser uma força-chave na estabilização das cadeias de abastecimento globais e na recuperação económica mundial”, referem as autoridades.

Conteúdo institucional

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Ana Maria Santos
Carregar mais artigos em Destaque Principal

Veja também

Pandemia não alterou estabilidade económica da China

Duas conferências de Imprensa promovidas pelas autoridades chinesas mereceram grande atenç…