Alvega, concelho de Abrantes, registou a temperatura do ar mais elevada em Portugal na terça-feira, 44,6 graus celsius, enquanto em 15% do território os valores estiveram acima dos 42 graus, anunciou hoje o IPMA.
Dados divulgados pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera, recolhidos às 18:00 de terça-feira, indicam que em 28 estações de medição de temperatura foram “ultrapassados os anteriores maiores valores da temperatura máxima para o mês de julho”. Em seis destas estações foram excedidos os anteriores extremos absolutos. 
A informação relativa à persistência do tempo muito quente indica ainda valores iguais ou superiores 30 graus em praticamente todo o território, à exceção de Cabo Carvoeiro, Foia e Sagres.
Em 85% do território, a temperatura máxima do ar foi igual ou superior a 35 graus, enquanto em 40% do território se registaram 40 ou mais graus de máxima.
Em Leiria (aeródromo) os termómetros chegaram aos 44,1 graus, com o anterior máximo extremo de julho registado em 2007 (40,3 graus). Anadia atingiu os 42,8 graus, contra 42,2 de julho de 1941.
Na estação de Monção/Valinha, o IPMA registou 42,7 graus, comparando com os 42 graus de 1968 (início da série). Ansião chegou aos 42,5 graus, contra 41,2 em 2000 e Zebreira assinalou 42,1 graus (42 graus em 2000).
A atual onda de calor atinge Santarém há 11 dias, Montalegre e Pinhão há nove dias, Alvega há oito dias e Coruche, Avis e Mora há sete dias. 
Entre os locais que se encontram há seis dias sob a onda de calor estão Lisboa, Sines, Évora, Elvas, Beja, Castelo Branco, Portalegre, Viseu, Guarda, Fundão, Penhas Douradas, Viana do Alentejo, Amareleja e Mértola, Alcácer do Sal e Setúbal.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Actual

Veja também

Ponte de Sor: nove casos activos de covid-19

Ponte de Sor: nove casos activos de covid-19 …