Os órgãos concelhios da Juventude Socialista (JS) de Campo Maior tomaram posse no passado sábado, dia 9 de Julho, numa sessão realizada no Centro Interpretativo da Fortificação Abaluartada, que contou com as intervenções de Luís Rosinha, presidente da Câmara Municipal, Ricardo Pinheiro, presidente da Federação Distrital de Portalegre do PS, João Pedro Meira, presidente da Federação Distrital de Portalegre da JS, e Duarte Vivas, presidente eleito da JS de Campo Maior.

Duarte Vivas começou por deixar “sentidos agradecimentos” a todos os presentes e especialmente aos intervenientes na sessão, para depois declarar que “hoje é um dia marcante para mim e para a equipa que lidero”, porque “com a reactivação da JS em Campo Maior garantimos a representação daqueles a quem o futuro pertence, um futuro que importa começar a ser pensado, delineado e estruturado”.

O responsável prosseguiu definindo que o seu principal objectivo é “trabalhar de modo a desmistificar a ideia de que a política não importa, não interessa ou que não nos diz nada, quando esta nos diz tudo e nos rodeia diariamente”, considerando que para isso “é fulcral criarmos e semearmos um espírito crítico activo, uma militância forte assente na liberdade individual que tanto nos custou a garantir”.

O jovem campomaiorense concluiu desafiando os presentes: “Conto com todos vós, mais novos, mais velhos, com menos e com mais experiência, para que juntos possamos criar uma JS dinâmica, crítica e com futuro”.

João Pedro Meira começou por afirmar que “hoje a JS vive um momento de relevância histórica com esta tomada de posse, dez anos depois da última concelhia eleita”, recordando que “este é mais um passo para que consigamos ter em cada concelho do Alto Alentejo uma concelhia activa da JS”.

O presidente da Federação Distrital de Portalegre da JS relevou a “importância da Juventude Socialista para o fortalecimento da democracia e para a consciencialização política dos jovens” e reflectiu sobre o “momento crítico que vivemos, onde não há espaço para indefinições ideológicas, sendo, por isso, urgente voltarmos às lutas do passado, como a legalidade do aborto ou o casamento entre pessoas do mesmo sexo, mas também avançando, sem hesitações, na legalização da eutanásia e na regulamentação da prostituição”.

João Pedro Meira terminou com um repto “para que nos façamos valer pelo mérito que temos para estar em cada lugar, sendo exemplo disso mesmo o nosso Duarte Vivas”. Continuou reiterando que “não sejamos os ‘boys das jotinhas’, que, saídos das universidades, ou nem sequer terminando as suas formações, se colocam a ‘jeito’ para resolver as suas vidas profissionais”. E concluiu dizendo que “é urgente escrutinarmos os comportamentos de quem está numa juventude partidária”, para atirar que “não compactuamos com a forma desonesta e oportunista como a JSD milita no nosso distrito, trocando fichas de militante por imperiais”.

A Mesa da Assembleia de Militantes é presidida por João Carrilho e constituída por Afonso Carvalho, José Romudas, Tiago Carapinha e Ricardo Cordeiro. O Secretariado Concelhio é liderado pelo presidente da concelhia, Duarte Vivas, e formado por Xavier Gonçalves, Beatriz Contenda, Rafael Orelhas, Ricardo Leonardo, Diogo Silva, Joana Candeias, Luís Demétrio e Inês Nabeiro.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Nuno Barraco
Carregar mais artigos em Destaque Principal

Veja também

Elvas: Dois focos de incêndio em menos de meia hora

Um incêndio deflagrou na tarde de quinta-feira, dia 4 de Agosto, num terreno situado entre…