Na semana em que a jovem Beatriz Lebre cumpriria 25 anos de vida, o Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE), onde a elvense estudava à data da sua morte, anunciou a criação do “Prémio Estudante Beatriz Lebre”.

Como refere o ISCTE, este galardão irá destacar um estudante da academia pela sua “integridade (respeito pelos outros e ética), cidadania activa e participativa”.

A primeira edição decorrerá no ano lectivo 2022-2023, revelou a instituição de ensino superior.

Beatriz Lebre, que frequentava o mestrado de Psicologia Social e das Organizações, tinha 22 anos quando a sua vida foi interrompida, de forma violenta e inesperada, às mãos de um colega de curso, que a matou, ocultando depois o corpo de Beatriz no Rio Tejo.

Ruben Couto acabaria por ser detido, confessando o crime, tendo sido encontrado morto no Estabelecimento Prisional de Lisboa, enquanto aguardava julgamento.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Pedro Trindade Sena
Carregar mais artigos em Destaque Principal

Veja também

Vila Boim: Isabel Figueira apresentou livro que junta poesia, doces e licores

A poesia e a doçaria são duas paixões de Maria Isabel Figueira. Natural de São Romão e a r…