O ministro da Cultura, Pedro Adão e Silva, designou para os cargos de subdiretoras-gerais da Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) Rita Jerónimo, na sequência de concurso público desenvolvido pela Comissão de Recrutamento e Seleção para a Administração Pública (CRESAP), e Paula Sofia Tavares, em regime de substituição. As duas nomeações têm efeitos a 18 de maio último.

Com responsabilidade pela área dos Museus, Monumentos e Palácios, Rita Jerónimo é subdiretora-geral da DGPC em regime de substituição desde dezembro de 2020. Agora, na sequência de resultado obtido em concurso da CRESAP, é nomeada em comissão de serviço por um período de cinco anos.

Paula Sofia Tavares é designada para o cargo de subdiretora-geral do Património Cultural em regime de substituição, considerando que o cargo se encontrava vago e que importa acautelar o normal funcionamento da DGPC até à conclusão de concurso da CRESAP. A nova subdiretora-geral sucede a Rui Santos, que cessou funções a seu pedido em março de 2022.

Nos termos do Decreto-Lei n.º 115/2012, de 25 de maio, a DGPC é dirigida por um diretor-geral, coadjuvado por quatro subdiretores-gerais, cargos de direção superior de 1.º e 2.º graus, respetivamente.

Perfis

Rita Isabel Monteiro Jerónimo da Silva (1971), é licenciada em Antropologia Social pelo ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE) e mestre em Antropologia, especialidade em Patrimónios e Identidades, pela mesma instituição. Subdiretora da DGPC desde dezembro de 2020, foi técnica especialista na área dos museus e património cultural no gabinete da Ministra da Cultura nos XXI e XXII Governos Constitucionais.

Anteriormente exerceu funções de técnica superior na Divisão de Cultura e Património Cultural da Câmara Municipal de Odivelas e também na Direção Regional de Cultura de Lisboa e Vale do Tejo, Divisão de Artes e Ação Cultural, projeto de levantamento do Património Cultural Imaterial da Região.

Participou em projetos nas áreas da antropologia e museologia, de que se destacam a coordenação do Grupo de Trabalho para projeto museológico do Mosteiro de S. Dinis e S. Bernardo em Odivelas e a elaboração do projeto do Núcleo Museológico da Escola Profissional Agrícola D. Dinis, Paiã. Como investigadora esteve envolvida no projeto “Agricultura nos Campos de Idanha”, no Centro Cultural Raiano, e no projeto da LISBOA 94 – Capital Europeia da Cultura, realizado no Museu Nacional de Etnologia tendo em vista a constituição da Exposição “Fado – Vozes e Sombras”.

Paula Sofia Fonseca Tavares (1968), licenciada em Gestão pela Universidade Internacional, é desde julho de 2021 diretora do Departamento de Planeamento, Gestão e Controlo da DGPC, assegurando a coordenação e gestão das áreas de recursos humanos, património, orçamento, contabilística e financeira, contratação logística, planeamento e candidaturas a fundos comunitários. Nessa qualidade tem assegurado a execução do Investimento designado por “Património Cultural”, enquadrado na Componente C04 do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR). É vogal na comissão diretiva do Fundo Salvaguarda do Património Cultural.

Anteriormente foi técnica superior de Orçamento e Conta Especialista da Direção-Geral do Orçamento – Ministério das Finanças, com as seguintes atividades: colaboração na construção e desenvolvimento do Modelo Conceptual Entidade Contabilística Estado (ECE) e na Orçamentação por Programas da Administração Pública. Entre 2014 e 2021 foi Chefe da Unidade de Orçamento e Controlo do Instituto de Financiamento Agricultura e Pescas (IFAP).

Coordenou o Núcleo de Gestão Orçamental do Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça (IGFEJ), e integrou também o Departamento Financeiro da Reitoria da Universidade de Lisboa — Ministério da Educação.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por João Alves e Almeida
Carregar mais artigos em Destaque Principal

Veja também

Elvas: Ex-libris da cidade comemora hoje 400 anos de história

Elvas: Ex-libris da cidade comemora hoje 400 anos de história …