Um aluno, de 14 anos, é suspeito de ter provocado um incêndio numa sala de aulas, em Campo Maior, tendo a GNR elaborado um auto de notícia sobre a ocorrência para o Ministério Público, foi hoje revelado.
Em declarações à agência Lusa, o capitão André Machado, do Comando Territorial de Portalegre da GNR, explicou que o caso aconteceu na Escola Secundária de Campo Maior, na segunda-feira de manhã, e que existe “prova testemunhal” de que foi aluno em causa que provocou o foco de incêndio.
“Temos uma prova testemunhal de que foi um dos alunos que ateou o fogo dentro da sala de aula, a uma árvore de Natal que ainda lá estava, e depois acabou por provocar danos no mobiliário e no teto”, relatou.
A Lusa tentou contactar a direção da escola, mas as diversas tentativas revelaram-se infrutíferas.
Em declarações à Lusa, o oficial da GNR explicou que, após a entrega do auto de notícia, cabe agora às autoridades judiciais “interpretarem os factos”, uma vez que o aluno é menor de idade.
Neste tipo de casos, deverá ser aplicada a Lei Curricular Educativa, não dependendo este caso diretamente do Código Penal.
Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Portalegre disse à Lusa que o alerta foi dado às 11:58 de segunda-feira, tendo sido enviados para o local oito operacionais, auxiliados por quatro viaturas.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Actual

Veja também

Combate à corrupção em Portugal “deve melhorar” – Ministra da Justiça

A ministra da Justiça, Catarina Sarmento e Castro, alertou hoje que Portugal deve melhorar…