A edição deste ano da Ovibeja, a maior feira agropecuária do sul de Portugal, vai arrancar na quinta-feira com lotação esgotada para mostrar “todo o Alentejo deste mundo” e debater “como alimentar o planeta”.
A feira vai decorrer até segunda-feira, no Parque de Feiras e Exposições de Beja, com “cerca de mil” expositores “lotados” e aguarda “milhares de visitantes”, segundo a organizadora, a ACOS – Associação de Agricultores do Sul.
Sob o tema central “Como Alimentar o Planeta?”, a feira volta este ano ao parque de feiras, após ter sido cancelada em 2020 e ter decorrido em formato digital em 2021, devido à pandemia de covid-19.
De acordo com o presidente da ACOS, Rui Garrido, “há uma expectativa muito grande face à realização” da Ovibeja deste ano, porque “as pessoas estão ávidas de convívio, de saírem de casa e de terem um estilo de vida diferente” do “habitual” nos anteriores dois anos de pandemia.
“Nota-se que a Ovibeja faz falta à cidade, à região, ao país”, vincou, numa entrevista concedida ao gabinete de imprensa da Ovibeja e enviada à agência Lusa pela ACOS.
Segundo Rui Garrido, a guerra na Ucrânia “encetada” pela Rússia “veio trazer ainda mais pertinência” ao tema da feira.
Atualmente, “não está apenas em causa como alimentar o planeta, mas também que capacidade terão os agricultores de o fazerem”, já que “o aumento das despesas e dos fatores de produção tem sido brutal”, frisou.
Também matérias-primas já estão a faltar ou vão faltar, devido à guerra, “sobretudo cereais e oleaginosas”, dos quais “a Rússia e a Ucrânia são grandes produtores”, acrescentou.
“Começa-se também a notar que podem começar a faltar os fertilizantes, que é a nossa grande preocupação. Se não houver fertilizantes como é que se conseguem produzir alimentos?”, avisou.
O tema central vai ser abordado numa exposição interativa, patente no Pavilhão Terra Fértil, na conferência “Como Alimentar o Planeta?” e em vários colóquios.
A Ovibeja também vai ser palco de debates sobre outros assuntos do mundo agrícola, e, como é hábito, deverá ser destino de políticos, entre governantes e líderes partidários.
A feira volta a ter os tradicionais pavilhões institucional, com expositores de empresas e instituições, da pecuária, das aves, multiúsos, de comércio e serviços e agroalimentar, assim como zonas de bares, tasquinhas e restauração.
Também volta a apostar no Campo da Feira, para demonstração e venda de máquinas e serviços agrícolas, e no Pavilhão Terra Fértil, com uma mostra de inovação na agricultura e nas agroindústrias.
 A Arena do Azeite, o Pavilhão do Cante, das Artes e dos Ofícios e o espaço “ACOS+ Natureza & Equilíbrio”, com atividades para crianças e famílias, são também apostas.
Gastronomia, entrega dos prémios do 11.º Concurso Internacional de Azeites Virgem Extra – Prémio CA Ovibeja, a 2.ª Corrida de Toiros Agricultores do Sul – Ovibeja, exposições, concursos e provas desportivas são outras das ofertas.
Quanto ao cartaz de espetáculos para animar as ‘ovinoites’, os destaques vão para os concertos de Blaya, Pedro Abrunhosa e Paula Fernandes, na sexta-feira, no sábado e no domingo, respetivamente.
“Solidária com a Ucrânia”, a comissão organizadora da Ovibeja vai doar 1% da receita total de bilheteira da feira deste ano “a favor deste país”.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Destaque Principal

Veja também

Forte de Santa Luzia recebeu visita teatralizada

O Forte de Santa Luzia recebeu na manhã deste sábado, 13 de agosto, uma visita teatralizad…