Um curso técnico superior profissional que pretende formar “20 a 25 alunos por ano” em programação ágil e segurança de sistemas de informação vai ser criado em Ponte de Sor, foi hoje divulgado.
O projeto, desenvolvido pela empresa de comunicações e entretenimento NOS, em parceria com o Instituto Politécnico de Portalegre (IPP) e o município, vai ser desenvolvido no “Espaço i”, instalado no mercado municipal da cidade alentejana.
Contactado pela agência Lusa, o administrador da NOS Manuel Ramalho Eanes manifestou-se satisfeito com a iniciativa, explicando que a empresa poderá, “eventualmente” no futuro, desenvolver este tipo de projetos noutras zonas do país, uma vez que existe a “obrigação” de promover a coesão territorial.
O responsável explicou que o projeto surge em Ponte de Sor após uma “abordagem muitíssimo colaborativa e pró-ativa” do presidente do IPP, Luís Loures, e ainda por parte do município, um parceiro com quem partilham a “vontade de inovar” e de realizar “coisas novas e ousadas”.
“Entendemos que a criar um primeiro polo de competências fora de Lisboa quereríamos fazê-lo não nos sítios potencialmente mais óbvios, mas em sítios onde testássemos a nossa capacidade de contribuir verdadeiramente para a coesão territorial”, explicou.
Apostados também em “acelerar” a transformação digital no Alto Alentejo, o projeto vai ser desenvolvido no “Espaço i”, que hoje foi inaugurado no Mercado Municipal de Ponte de Sor.
Em comunicado, a NOS explica que, no âmbito da colaboração desenvolvida com o município, dotou o “Espaço i”, dedicado ao empreendedorismo, das “mais avançadas soluções” de comunicações 5G, disponibilizando de forma gratuita acesso a ‘wi-fi’ de última geração a todas as empresas ocupantes do espaço.
“Resultante da reconversão do antigo Mercado Municipal de Ponte de Sor, este polo de inovação vai acolher empresas de serviços de matriz tecnológica e digital, entre as quais a própria NOS. No local, a empresa pretende instalar um espaço colaborativo e criar 25 novos postos de formação/trabalho altamente qualificados para o desenvolvimento de projetos e ‘use cases’ no âmbito da engenharia informática e eletrotécnica”, pode ler-se no documento.
O projeto de formação de profissionais em TI (Tecnologia da Informação) tem por base o desenvolvimento de uma oferta formativa de matriz tecnológica, “materializada numa primeira fase” num curso técnico superior profissional em programação ágil e segurança de sistemas de informação.
“Com uma duração de dois anos, este curso é ministrado pelo IPP para formar profissionais para desenvolvimento de aplicações informáticas com tecnologias baseadas em metodologias ágeis e aplicações de segurança de sistemas de informação”, pode ler-se no comunicado.
No mesmo documento, a NOS revela que “ambiciona integrar 20 a 25 alunos por ano e por turma”, com os primeiros formados a poder integrar o mercado de trabalho em 2024, após concluírem um estágio profissional realizado no contexto das equipas daquela empresa, em Ponte de Sor.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Destaque Principal

Veja também

Forte de Santa Luzia recebeu visita teatralizada

O Forte de Santa Luzia recebeu na manhã deste sábado, 13 de agosto, uma visita teatralizad…