A Câmara de Vila Viçosa, no distrito de Évora, quer iniciar este ano a construção de uma variante a uma estrada cortada por questões de segurança, devido à proximidade de uma pedreira, revelou o autarca.
Em declarações à agência Lusa, o presidente da Câmara de Vila Viçosa, Inácio Esperança, afirmou que esta nova variante será a “solução definitiva” para a circulação automóvel entre Bencatel e a sede de concelho, após o corte da estrada 254.
“Pretendemos dar início às obras, se tudo correr bem nas negociações com os proprietários dos terrenos, ainda este ano”, adiantou o autarca, esperando que a empreitada possa ficar concluída dentro de dois anos.
Inácio Esperança falava a propósito da assinatura do acordo de mutação dominial do troço da estrada 254 que liga Bencatel a Vila Viçosa, entre o município alentejano e a empresa Infraestruturas de Portugal (IP).
A estrada 254 junto a Bencatel, no concelho de Vila Viçosa, foi cortada ao trânsito de forma definitiva, a 22 de janeiro de 2021, por questões de segurança, devido à proximidade de uma pedreira.
Na altura, fonte da IP revelou à Lusa que o corte do trânsito na estrada estava relacionado com a proximidade da pedreira “Monte d’el Rei”, que tem cerca de “134 metros de profundidade” e que se encontra a cerca de 30 metros da via, quando devia estar “a mais de 400 metros”.
Poucos dias depois do corte da estrada, foi criado, num terreno privado cedido pelo proprietário, um caminho de terra batida paralelo a esta estrada que está a ser utilizado por alguns automobilistas.
Nas declarações à Lusa, Inácio Esperança indicou que o município já enviou para “conferência decisória” da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo a alteração ao Plano Diretor Municipal (PDM) que permite a construção da via.
“De seguida, será feita a consulta pública e a votação em assembleia municipal” das alterações ao PDM, referiu, assinalando que o projeto da variante pode estar pronto em setembro deste ano para que, depois, se possa lançar a obra.
O autarca estimou que a construção da nova variante possa envolver um investimento total na ordem dos três milhões de euros, lembrando que o projeto vai implicar, além da obra, a “compra de terrenos” a privados.
Já o investimento previsto, sublinhou, deverá ser totalmente assegurado pela autarquia, pois, no próximo quadro de fundos europeus “não deverá existir financiamento comunitário para estradas”.
“Estamos a aguardar pelo quadro [comunitário] 2030 e pelos avisos. Se houver, será uma boa ajuda. Se não houver, teremos que fazer a obra a custo próprio”, observou o presidente da Câmara de Vila Viçosa.
Com uma extensão de mais de três quilómetros, a futura variante a Bencatel, além de possibilitar o acesso à sede de concelho, vai permitir também “desviar o trânsito de pesado” de dentro da localidade e “a laboração de pedreiras da zona”, frisou.
O autarca acrescentou que o caminho de terra batida paralelo à estrada e que está a ser utilizado por alguns automobilistas vai ganhar, até ao final deste mês, melhores condições de segurança, com a colocação de alcatrão e sinalização.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Destaque Principal

Veja também

Castelo de Vide atribui medalha de ouro municipal a título póstumo a Salgueiro Maia

A Câmara de Castelo de Vide vai atribuir na sexta-feira a medalha de ouro do município, a …