O mês de dezembro do ano passado foi o quarto mais quente dos últimos 90 anos e bateu-se o recorde da estação, com um extremo de 26.4 °C de temperatura máxima na Zambujeira, segundo dados hoje divulgados.
De acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), desde 1931 que não havia um dezembro tão quente, com a média da temperatura máxima do ar a chegar aos 15.72 °C (mais 1.84 °C), o segundo valor mais elevado dos últimos 90 anos (em 2015 atingiu-se os 16.21 °C).
O valor médio de temperatura mínima do ar foi de 7.66 °C, igualmente superior à normal (mais 1.62 °C), sendo o nono valor mais alto desde 1931.
Quanto à temperatura média do ar, o IPMA aponta para um valor médio de 11.69 °C, mais 1.73 °C do que o normal registado no período 1971-2000.
O mês de dezembro de 2021 teve valores diários de temperatura máxima e mínima do ar quase sempre superiores ao valor médio mensal, em particular a temperatura máxima, segundo o IPMA, que destaca o último dia do ano, com valores que ultrapassaram ou igualaram os anteriores máximos de dezembro em cerca de 10% das estações do Continente.
O IPMA realça o valor registado na Zambujeira, de 26.4 °C, “um novo máximo para esta estação” e que representa “um novo extremo para o mês de dezembro em Portugal continental desde 1941”.
O valor médio da quantidade de precipitação em dezembro (93.4 mm) foi inferior ao valor normal 1971-2000, correspondendo a 65%.
Durante o mês de dezembro, o IPMA sublinha o dia 20, “com precipitação por vezes forte e acompanhada de trovoada nas regiões do Barlavento Algarvio, Baixo Alentejo e a região de Setúbal e Vale do Sado”, e o período entre os dias 23 e 26, “com precipitação moderada e persistente nas regiões do Norte e Centro”.
No final do mês de dezembro 94% do território estava em situação de seca meteorológica, segundo o IPMA, que aponta para uma “ligeira diminuição” da percentagem do território na classe de seca severa e um aumento na classe de seca moderada.
O relatório do IPMA indica que no final de dezembro se manteve a situação de seca meteorológica em quase todo o território, verificando-se uma ligeira diminuição da percentagem do território na classe de seca severa e um aumento na classe de seca moderada.
De acordo com o índice meteorológico de seca, mais de metade (57,7%) do território estava em seca fraca, 27.3% em seca moderada e 8.7% em seca severa (12,6% em novembro).

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Actual

Veja também

Temperaturas acima dos 35 graus e aumento do risco de incêndio sexta e sábado

As temperaturas máximas vão ultrapassar os 35 graus Celsius em algumas regiões do continen…