Continua o declínio do Barcelona, iniciado há já alguns anos atrás. Agora foi a vez de o clube catalão dizer adeus à Liga dos Campeões na fase de grupos, o que acontece pela primeira vez em 20 anos. Num grupo complicado, com Bayern de Munique, Dínamo de Kiev e Benfica, o Barcelona acabou com 7 pontos, ao passo que a equipa portuguesa somou 8, graças a uma vitória sobre o Dínamo. É ainda digno de nota o apuramento inesperado para os oitavos de final por parte do Red Bull Salzburgo e dos franceses do Lille.

Um Caminho Difícil para o Sucesso

A eliminação do clube catalão não se deveu apenas à sua incapacidade de fazer frente ao Bayern, mas também pela superiorização do Benfica perante o Dínamo de Kiev. Embora o primeiro jogo entre as duas equipas tenha terminado num empate sem golos, os jogadores do Benfica mostraram neste último jogo que não tencionavam deixar escapar a qualificação. Os golos de Jaremchuk e Gilberto, no primeiro tempo, levaram o clube português a terminar em segundo lugar do seu grupo.
No entanto, apesar da excelente prestação do Benfica nos últimos tempos, o caminho para o sucesso não foi tão fácil como poderia parecer a um olhar mais desatento. Prova disso mesmo foi o facto de o Benfica ter tido de enfrentar a agressiva máquina do futebol alemão, sob a forma do Bayern, por duas vezes. E mau grado um resultado inesperado para a Taça da Alemanha, em que o Bayern perdeu 0-5, a abordagem da equipa germânica ao seu embate com o Benfica para a Liga dos Campeões foi extremamente séria.
Apesar da falha na conversão de uma grande penalidade, Robert Lewandowski não deixou de mostrar os seus dotes, ao selar um hat-trick na partida. Note-se que, embora seja inegável que a marcação de uma grande penalidade seja também questão de sorte, um pouco à imagem das roletas que se podem encontrar no casino Frank Portugal, Lewandowski raramente desperdiça oportunidades do género. Ainda assim, o resultado final de 5-2 a favor dos alemães mostrou bem quem era o favorito na partida e à vitória no grupo.

O Início de Uma Nova Era

Corria a temporada de 2000/01 quando a equipa catalã se viu relegada para a taça UEFA, ao terminar em terceiro lugar no seu grupo da Champions, com Leeds United e Milan no lugar de favoritos. Curiosamente, nessa altura, Xavi, atual treinador do Barcelona, tinha 20 anos e era jogador da equipa. A derrota por 0-3 perante o Bayern no último jogo mostrou não só a impotência do Barcelona perante o gigante alemão, mas também deixou bem claro que, no seu presente estado, a equipa catalã não tem lugar entre os 16 melhores do futebol europeu.
Para Xavi, a Liga dos Campeões era o principal objetivo da temporada, mas a realidade atual do Barcelona é a participação na Liga Europa. Ao que tudo indica, o clube espanhol encontra-se no início de uma nova era e poderá levar muito tempo a reconquistar a sua antiga grandeza.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Ana Maria Santos
Carregar mais artigos em Empresas

Veja também

Palad’art mantém aposta em cabazes de Natal e leitão assado

Este Natal mantenha a tradição e ofereça a familiares, amigos ou colaboradores da empresa …