O auto de consignação para as obras de requalificação da Escola Básica Cristóvão Falcão, na cidade de Portalegre, num investimento que ronda os 2,6 milhões de euros, foi assinado, anunciou a câmara municipal.
Em comunicado, o município de Portalegre explica que esta empreitada no estabelecimento de ensino, cuja propriedade pertence ao Ministério da Educação, vai ser cofinanciada por fundos europeus e conta com um prazo de execução de 730 dias.
“Embora este edifício seja propriedade do Ministério da Educação, a iniciativa da requalificação é da responsabilidade do Agrupamento de Escolas do Bonfim e da Escola Cristóvão Falcão, que propuseram à Câmara Municipal de Portalegre a gestão do projeto, dos procedimentos, da empreitada e da execução da obra”, pode ler-se no documento.
Para a autarquia, esta empreitada é de “extrema importância”, uma vez que a requalificação global da Escola Básica Cristóvão Falcão “irá contribuir para o bem-estar da comunidade escolar e para o “reforço da segurança” daquele estabelecimento de ensino.
“Todo o edifício será completamente remodelado, no interior e exterior. Será climatizado a 100% e atualizado na sua totalidade, tendo em conta a nova legislação de segurança contra incêndios”, lê-se no comunicado.
“É ideia nuclear da requalificação concentrar o acesso à escola num único local, nomeadamente no acesso dos alunos, onde professores, funcionários, encarregados e outros intervenientes também passarão a fazer a sua entrada”, acrescenta.
Além da colocação de um elevador, que irá permitir o acesso a todos os pisos do edifício, o município de Portalegre indica que a escola vai ser alvo de “diversas modificações” nos pisos que a compõem.
“No piso -1, a sala de convívio será alargada, no piso zero, a cozinha e equipamentos do refeitório serão refeitos, tendo em vista as leis vigentes e equipamentos datados, no piso 1 serão intervencionadas as salas comuns, a zona de administração e a biblioteca”, pode ler-se no documento.
Já nos pisos 2 e 3 serão também intervencionadas as salas comuns, salas de aulas, a sala dos primeiros socorros, as salas dos pequenos grupos e as instalações sanitárias.
“No exterior, serão aplicados bancos e mesas, que tirarão partido das sombras das oliveiras, azinheiras e sobreiros do recreio. Serão aplicados bebedouros, um na zona de recreio e outro na zona desportiva, incluindo algumas papeleiras nas zonas mais apropriadas”, acrescentam.
No mesmo comunicado, o município revela ainda que “a grande transformação” vai ocorrer no campo de jogos, onde vai ser removido o pavimento de alcatrão e se “aplicará um piso e pavimento devido” para a prática desportiva.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Destaque Principal

Veja também

Universidade de Évora vai ‘ganhar’ mais 105 camas com apoio do PRR

Mais 105 camas de alojamento estudantil vão ‘nascer’ na Universidade de Évora (UÉ), para u…