A migração global para veículos elétricos (EV, do inglês Electric Vehicles) marca a tendência atual da indústria automobilística. Personalidades importantes, como Elon Musk, fazem declarações ousadas e frequentes sobre um futuro totalmente elétrico, o que contribui ainda mais para levar as principais marcas a focar os seus planos nas tecnologias de EV mais recentes.
Contudo, há uma empresa que ainda não se destacou no mercado dos EV, embora esteja a trilhar um caminho onde se esperam grandes progressos: a Skoda. A empresa checa já possui veículos elétricos no seu portefólio e tem grandes planos de expandir ainda mais a sua oferta, após revelar a sua nova estratégia de negócios em junho.
Após o CEO, Thomas Schafer, anunciar o desejo de um futuro totalmente elétrico, apresentamos quatro aspetos a ter em conta nos planos ambiciosos da Skoda para os próximos anos.

Três novos modelos elétricos até 2030

O modelo elétrico de estreia da Skoda, o Citigo IV, apanhou de surpresa muitos entusiastas do mundo dos EV. Em termos financeiros, o Citigo IV foi um desastre para as contas da empresa, uma vez que a fabricante assume mais de 7000€ de prejuízo por cada unidade vendida, mas marcou um ponto de inflexão na empresa. Este modelo nunca teve disponível em Portugal.
O modelo que se segue é o SUV Enyaq IV, modelo que foi bem-sucedido no mercado. Assim, a Skoda decidiu aumentar a ambição dos seus planos com o lançamento de uma gama de modelos BEV (Battery Electric Vehicles) até 2030, assente em 3 modelos. O trio será mais barato e mais pequeno que o Enyaq, mas representará a mudança da empresa para um modelo de negócio assente num futuro completamente elétrico, de acordo com Thomas Schafer.
Os detalhes ainda não são conhecidos publicamente, mas um dos modelos será o Enyaq iV Coupé, que poderá chegar aos stands ainda este ano. Um outro modelo será um carro elétrico urbano – lançamento previsto para 2025 ou 2026 – e estará assente num “conceito de veículo independente e voltado para o espaço e conforto do passageiro”.

A versão elétrica do Skoda Octavia pode chegar já em 2025

A Internet alberga todo o tipo de comunidades online, desde grupos vocacionados para filmes e livros até fóruns sobre o jogo online. No âmbito dos fóruns, os automóveis são um tema particularmente popular. Alguns utilizadores destas plataformas têm especulado que a Skoda planeia lançar uma versão elétrica de seu modelo principal – Skoda Octavia – mais cedo que o esperado.
Ao revelar a nova estratégia da Skoda em junho, o CEO Thomas Schafer deixou escapar essa possibilidade, ao dizer que estava a ‘pensar intensamente num E-Octavia’. No entanto, ele disse que uma versão totalmente elétrica não seria lançada antes de 2025.
Ainda assim, esta data é mais precoce do que muitos especialistas em automóveis davam como provável, uma vez que a data estimada apontava para 2030. Os fãs da Skoda podem sonhar com uma boa surpresa dentro de três anos, ao invés vez de oito.

Mais de 50% das vendas em veículos elétricos em 2030

A Skoda tornou o mercado EV no focoda sua estratégia há algum tempo, mas ainda não deu o salto para o objetivo 100% elétrico. Vários modelos são híbridos plug-in (PHEV), que usam uma bateria para alimentar um motor elétrico e combustível para um motor de combustão interna. Os híbridos ficam aquém da ambição da empresa de se tornar numa marca puramente elétrica.
O trio de modelos BEV mencionado anteriormente será o primeiro grande passo rumo à migração total para os veículos elétricos, com o E-Octavia a coroar todo este esforço de sustentabilidade da empresa.
Em junho, a empresa anunciou uma meta de 50-70% das vendas de modelos totalmente elétricos até 2030, em função do desenvolvimento do mercado no pós-pandemia. A VW, uma empresa do mesmo grupo, vai mais longe e estipula uma meta de 70% de vendas de veículos elétricos em 2030. No entanto, a Skoda ambiciona ser a fabricante que contribuirá para uma migração para EV nos países com menor poder de compra e nos países em desenvolvimento, onde a troca é muito mais lenta.

A escassez de chips será ultrapassada

Além de uma grande queda na receita, a indústria de EV sofre as consequências da escassez global de chips semicondutores, componentes essenciais para o funcionamento dos veículos modernos.
No rescaldo das condições atuais, a Skoda espera produzir menos 100.000 carros, mas ainda está confiante que pode superar as vendas de EV do ano passado, que totalizaram um pouco mais de um milhão de veículos. A chave para atingir essa meta é o Enyaq iV, modelo no qual a empresa investiu uma parte significativa dos seus recursos. O CEO da marca está confiante que a Skoda será capaz de entregar 70.000 unidades do modelo e satisfazer os pedidos do Enyaq que já estão em andamento em 2021.
Mas não é apenas a Skoda que está confiante no futuro. Elon Musk prevê que a escassez de chips seja temporária, graças à construção de muitas novas fábricas de semicondutores em todo o mundo. Superando esta barreira, a Skoda fica bem lançada para atingir as suas metas de vendas. Este é o primeiro passo para um futuro totalmente elétrico, num mercado que está em franca expansão.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Ana Maria Santos
Carregar mais artigos em Destaque Principal

Veja também

Manchester United goleia Liverpool na pré-época; o que esperar e como apostar na Premier League

O jogo acabou em goleada e abriu o apetite para a próxima época desportiva da Premier Leag…