O Presidente da República defendeu hoje o fim obrigatório do uso da máscara só em meados de Setembro e apelou aos jovens para se vacinarem contra a Covid-19 antes do início do ano lectivo.
Questionado sobre o fim do uso obrigatório da máscara, o Presidente da República lembrou que é uma competência da Assembleia da República, que só volta a reunir-se em plenário em Setembro, por isso defendeu que a prorrogação dessa decisão “é uma boa coincidência, depois de deixar passar algumas semanas”.
“Fui dos primeiros a pô-la e serei dos últimos a tirá-la. Quero ver primeiro os números de Agosto e de Setembro”, afirmou aos jornalistas Marcelo Rebelo de Sousa, que falava durante uma visita ao centro de vacinação de Alcabideche, no concelho de Cascais.
A acompanhar a vacinação entre os 12 e os 15 anos, o Presidente da República apelou aos jovens que “se vacinem os que ainda não se vacinaram” antes do início do ano lectivo, com o objectivo de evitarem os contágios e a propagação do vírus e contribuírem para uma maior cobertura de cidadãos nacionais com vacinação completa.
“Se os jovens e os pais querem mais prevenir do que remediar têm de torcer a sua vida e sacrificar as férias, acelerar este processo e terem a dupla vacinação. Se hesitam, esperam para ver o que acontece com o vizinho aí estão sujeitos, no começo das aulas, a apanhar Covid”, realçou.
Quando o país se prepara para, a partir de segunda-feira, entrar numa nova fase de desconfinamento, o Presidente da República apelou também ao “bom senso” dos cidadãos, defendendo que “maior liberdade significa que há maior responsabilidade”.
“Vai haver regresso de férias e começo de ano lectivo, haverá mais circulação de pessoas de outros países e sabemos que há países ode a vacinação não está ao nosso nível, por isso vai ser preciso acompanhar com muito cuidado as próximas quatro semanas e aí, continuando a vacinação, vamos ver exactamente o que se passa noutros sítios e se nos afecta ou não”, explicou Marcelo Rebelo de Sousa, que prefere tirar a máscara só em Setembro e tenta “usá-a o mais possível mesmo na praia”.
O Presidente da República mostrou-se satisfeito “por ver milhares e milhares [a vacinarem-se]”, considerando que “é sempre bom abrir-se espaços de liberdade” à população e elogiou o trabalho da Task Force, criada para gerir o processo de vacinação, e da Direcção-Geral da Saúde.

FCC // slx
Lusa

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Covid-19

Veja também

Covid-19: Mais 22 mortos e 5.649 infectados, maior número de casos desde Fevereiro

Portugal regista hoje mais 22 mortos por Covid-19 e mais 5.649 infecções com o vírus da do…