Portugal regista hoje 13 mortes atribuídas à covid-19, 3.452 novos casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2, um aumento nos internamentos em enfermaria e estabilização nas unidades de cuidados intensivos, segundo os dados oficiais.
De acordo com o boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS), estão hoje internadas 934 pessoas com covid-19, mais seis em relação a terça-feira, 200 das quais em cuidados intensivos. Nas últimas 24 horas não se registaram entradas nestas unidades.
A área de Lisboa e Vale do Tejo com 1.341 casos e a região Norte com 1.194 têm 73,4% do total das novas infeções verificadas nas últimas 24 horas.
As 13 mortes ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo (7), na região Norte (5) e na região Centro (1).
No que respeita às faixas etárias, nove das vítimas mortais tinham mais de 80 anos, uma entre os 70 e os 79, uma entre os 60 e os 69, e duas entre os 50 e os 59 anos.
Relativamente ao total de 3.452 infeções nas últimas 24 horas, o boletim revela que 291 têm entre os 0 e os 9 anos, 565 entre os 10 e os 19 anos, 873 entre os 20 e os 29 anos, 559 entre os 30 e os 39 anos, 477 entre os 40 e os 49 anos, 278 entre os 50 e os 59 anos, 183 entre os 60 e os 69 anos, 11 entre os 70 e os 79 anos e 105 com mais de 80 anos.
Os dados divulgados pela DGS mostram também que há mais 175 casos ativos, totalizando 40.258 e que 3.264 pessoas foram dadas como recuperados nas últimas 24 horas, o que aumenta o total nacional para 891.687 recuperados.
Desde o início da pandemia, em março de 2020, morreram em Portugal 17.320 pessoas e foram registados 960.437 casos de infeção.
As autoridades de saúde têm em vigilância nas últimas 24 horas mais 248 pessoas, totalizando 80.475.
A região de Lisboa e Vale do Tejo com a notificação de 1.341 novas infeções, contabiliza até agora 375.628 casos e 7.393 mortos.
Na região Norte foram registadas hoje 1.194 novas infeções por SARS-CoV-2, totalizando 372.461 casos de infeção e 5.414 mortes desde o início da pandemia.
Na região Centro registaram-se mais 358 casos, acumulando-se 128.957 infeções e 3.041 mortos.
No Alentejo foram assinalados mais 115 casos, totalizando 33.375 infeções e 980 mortos desde o início da pandemia.
Na região do Algarve o boletim de hoje revela que foram registados 358 novos casos, acumulando-se 32.163 infeções e 384 mortos.
A região Autónoma da Madeira registou 29 casos, somando 10.532 infeções e 71 mortes devido à covid-19 desde março de 2020.
Os Açores têm hoje 57 novos caso contabilizando 7.321 casos e 34 mortos desde o início da pandemia.
As autoridades regionais dos Açores e da Madeira divulgam diariamente os seus dados, que podem não coincidir com a informação divulgada no boletim da DGS.
O novo coronavírus já infetou em Portugal pelo menos 440.675 homens e 519.107 mulheres, mostram os dados da DGS, segundo os quais há 655 casos de sexo desconhecido, que se encontram sob investigação, uma vez que esta informação não é fornecida de forma automática.
Do total de vítimas mortais, 9.089 eram homens e 8.231 mulheres.
O maior número de óbitos continua a concentrar-se nos idosos com mais de 80 anos, seguidos da faixa etária entre os 70 e os 79 anos.
Do total de mortes, 11.335 eram pessoas com mais de 80 anos, 3.710 com idades entre os 70 e os 79 anos, e 1.570 tinham entre os 60 e os 69 anos.
Quanto às infeções o boletim revela que do total de 960.437 pessoas infetadas desde o início da pandemia, 56.669 tinham entre os 0 e os 9 anos, 94.990 entre os 10 e os 19 anos, 148.476 entre os 20 e os 29 anos, 142.154 entre os 30 e os 39 anos, 158.316 entre os 40 e os 49 anos, 135.779 entre os 50 e os 59 anos, 92.237 entre os 60 e os 69 anos, 59.230 entre os 70 e os 79 anos e 71.931 com mais de 80 anos.
A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 4.179.675 mortos em todo o mundo, entre mais de 195,2 milhões de casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o balanço mais recente da agência France Presse.
A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil e Peru.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Covid-19

Veja também

Alentejo: Processo de confecção do Tapete de Arraiolos no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial

O «Processo de confecção do Tapete de Arraiolos» já se encontra inscrito no Inventário Nac…