As candidaturas de 11 empresas do Alto Alentejo já aprovadas ao Programa de Apoio à Produção Nacional (PAPN) envolvem um investimento total superior a um milhão de euros e um apoio de 600 mil de fundos europeus.
Os números foram divulgados hoje pela Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo (CIMAA), a propósito da cerimónia de assinatura dos termos de aceitação do PAPN, que se realiza, na quarta-feira, no Instituto Politécnico de Portalegre.
Segundo a CIMAA, as 11 micro e pequenas empresas vão investir “um montante total de mais de um milhão de euros”, com um “apoio de mais de 600 mil euros de fundos europeus, através do Programa Operacional Alentejo 2020”.
Estas empresas, realçou, vão investir “na expansão das suas instalações, aquisição de novos equipamentos, diversificação da produção, redução de custos com energia e modernização de processos e serviços prestados”.
Em contrapartida, sublinhou a comunidade intermunicipal, as empresas “comprometem-se a manter os 41 postos de trabalho”.
As empresas apoiadas pelo PAPN operam nos setores da indústria, restauração e turismo e localizam-se nos concelhos de Portalegre, Elvas, Crato, Marvão, Monforte, Ponte de Sor e Sousel.
O processo de aprovação das candidaturas foi conduzido pela Estrutura de Apoio Técnico (EAT) da CIMAA.
Destinado às micro ou pequenas empresas, o PAPN é um apoio direto ao investimento empresarial produtivo que pretende estimular a produção nacional, com especial enfoque nos setores industrial, turismo e restauração.
A CIMAA integra 15 municípios, nomeadamente os de Alter do Chão, Arronches, Avis, Campo Maior, Castelo de Vide, Crato, Elvas, Fronteira, Gavião, Marvão, Monforte, Nisa, Ponte de Sor, Portalegre e Sousel.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Região

Veja também

Évora: Investigador universitário distinguido em prémio internacional

Um investigador da Universidade de Évora (UÉ), Germilly Barreto, foi um dos vencedores da …