A previsão de reservas na hotelaria para agosto é de apenas 46%, segundo um inquérito realizado pela Associação da Hotelaria de Portugal (AHP), que considerou um valor “baixíssimo”.
Estes dados foram apurados pela AHP, depois de um inquérito realizado entre 07 e 21 de junho e que contou com respostas válidas de 610 unidades de hotelaria distribuídas por todo o país.
Assim, para agosto, habitualmente um dos melhores meses para o turismo, a previsão de reservas situa-se nos 46%, diminuindo para 37% em setembro e registando uma ligeira melhoria para 50% em outubro.
Das principais conclusões do inquérito, destacam-se ainda o facto de se verificar uma elevada prevalência de reservas reembolsáveis, a diminuição das reservas de grupo, que representam menos de 20% do total para 71% dos inquiridos, e o reagendamento e a utilização de ‘vouchers’ de reservas adiadas do ano anterior ficar abaixo dos 20%, o que demonstra a preferência pelo reembolso.
A vice-presidente executiva da AHP, Cristina Siza Vieira, que apresentou o inquérito, destacou também que 68% dos inquiridos afirmou ter intenções de reforçar as suas equipas através da contratação de trabalhadores em regime temporário.
No entanto, daqueles 68%, 64% dizem que estão “com muita dificuldade na contratação de trabalhadores para responder” àquele período, sobretudo nas regiões do Algarve, Centro e Alentejo, apontando como razões a mudança de área de vários profissionais e o subsídio de desemprego que alguns ainda estão a receber.

MPE // EA
Lusa

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Actual

Veja também

AHRESP defende criação de apoios para vítimas dos incêndios

AHRESP defende criação de apoios para vítimas dos incêndios …