A E-REDES vai investir, até ao final deste ano, 14,5 milhões de euros em ações de inspeção e de intervenção nas zonas de proteção e nas faixas gestão de combustível junto às linhas de eletricidade, com o intuito de garantir a melhoria da qualidade de serviço e a segurança das redes elétricas. O anúncio foi feito esta manhã pelo presidente do Conselho de Administração da Empresa, no âmbito da III Conferência Gestão da Vegetação.
“A E-REDES tem feito uma aposta significativa no desenvolvimento de soluções inovadoras com vista à gestão, manutenção e monitorização das redes elétricas, com especial enfoque nos espaços florestais. Para tal, temos implementado sistemas avançados de monitorização da vegetação junto à rede de distribuição de eletricidade, dos quais são exemplo a inspeção termográfica das linhas elétricas através de voos de helicóptero e a medição das distâncias de segurança com recurso a drones e imagens de satélite. O tratamento das imagens aéreas e de toda a informação recolhida tem-nos permitido assegurar uma intervenção cada vez mais eficiente no terreno”, garantiu José Ferrari Careto. “Ao aliarmos o conhecimento técnico à tecnologia e às suas imensas potencialidades, temos conseguido claros benefícios para a sociedade, quer em matéria de segurança, como de qualidade do serviço.  A gestão da vegetação é um tema muito desafiante, especialmente num país com as caraterísticas de Portugal, mas acreditamos que, com uma atuação coordenada de todos, estamos no caminho certo”, afirmou o presidente da E-REDES.
O evento digital, transmitido a partir de Pampilhosa da Serra, foi acompanhado por mais de 600 pessoas de diversas instituições e entidades ligadas a esta temática e contou com a presença do secretário de Estado da Conservação da Natureza, das Florestas e do Ordenamento do Território.
“A E-REDES é uma das entidades integrantes do Sistema de Gestão Integrada de Fogos Rurais que maior eficácia introduz na execução e manutenção das faixas de gestão de combustível da rede secundária, demonstrando que a tecnologia é um poderoso aliado na gestão eficiente e inteligente de combustível. Cientes da importância cada vez mais relevante da tecnologia na monitorização da superfície terrestre, acompanhamos com muita atenção os processos tecnológicos que podem potenciar o sistema de monitorização de ocupação do solo, partindo de uma premissa fundamental: boa informação é essencial para boas e melhores políticas. Reconhecendo esta evidência e esta necessidade, o Governo, com o apoio do Next Generation EU, irá investir significativamente no levantamento LiDAR, no modelo digital do terreno e na cobertura com imagens de satélite de muito alta resolução de todo o território nacional, entre outros investimentos que serão realizados no âmbito da cartografia de referência”, concluiu João Catarino.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Empresas

Veja também

Portugal regista mais cinco mortos e 677 infectados. Alentejo com 34 novos casos e um óbito

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 677 casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV…