Dois concursos públicos foram lançados para a Modernização da Linha do Alentejo, num investimento global superior a seis milhões de euros, incluindo estudos e projetos para eletrificar o troço ferroviário Casa Branca – Beja, foi hoje anunciado.
Em comunicado enviado hoje à agência Lusa, a Infraestruturas de Portugal (IP) revelou que os dois concursos públicos foram publicados em Diário da República, na semana passada.
“O investimento na Modernização da Linha do Alentejo integra o Plano Nacional de Investimentos PNI2030, prevendo a duplicação do troço Poceirão-Bombel e a requalificação e eletrificação do troço Casa Branca e Beja”, indicou.
Na quinta-feira, foi publicado em Diário da República o concurso público para a elaboração dos estudos e projetos necessários para a modernização do troço entre Casa Branca e Beja e o estudo da execução de uma ligação ferroviária ao Aeroporto de Beja, segundo a IP.
“No troço Casa Branca – Beja irá ser assegurada a circulação de comboios de tração elétrica e instalados sistemas de sinalização, controlo, comando e telecomunicações”, precisou a empresa, no comunicado.
Além disso, será “efetuado um estudo de viabilidade técnico-financeira da criação de uma ligação ferroviária ao Aeroporto de Beja”, é acrescentado na nota.
De acordo com o anúncio do concurso público, consultado pela Lusa, “os estudos e projetos a desenvolver” neste troço “visam potenciar a operacionalização da exploração que se deseja para esta” linha ferroviária e para “a sua ligação ao aeroporto”.
O preço-base do procedimento são 3.230.000 euros e a empreitada deve ser executada em 967 dias, tendo os interessados 45 dias para apresentar as respetivas propostas ao concurso (a contar desde a data da publicação do mesmo em Diário da República).
Quanto ao concurso para a elaboração do projeto de duplicação e modernização do troço Poceirão – Bombel, com um preço-base de 2.750.000 euros, foi publicado em Diário da República no dia 03 de maio.
O projeto “prevê a duplicação da via, a colocação de um novo sistema de catenária e de sistemas de sinalização, controlo, comando e telecomunicações, contemplando igualmente a intervenção na Bifurcação de Águas de Moura Sul”, referiu a IP.
Ambos os investimentos a executar visam “potenciar a competitividade do setor ferroviário a nível internacional no eixo Lisboa-Madrid”, o mesmo acontecendo a nível regional, “entre as regiões do Alentejo e Lisboa e Vale do Tejo”.
A beneficiação do serviço de transporte ferroviário de passageiros, com a redução dos tempos de viagem, o aumento das condições de segurança, conforto, acessibilidade e informação, o reforço da capacidade de operação, disponibilidade e segurança da infraestrutura e a melhoria da competitividade do transporte ferroviário de mercadorias são os principais benefícios identificados pela IP.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Destaque Principal

Veja também

Comendador Rui Nabeiro recebe Globo de Ouro

O Comendador Rui Nabeiro foi agraciado com um Globo de Ouro. …