O núcleo de Portalegre do Movimento Democrático de Mulheres (MDM) esteve presente, na manhã de ontem, 1 de Maio, na acção de rua, em Portalegre, convocada pela CGTP.

A concentração teve lugar na avenida Movimento das Forças Armadas e, em comunicado, o movimento sublinhou que a sua participação pretendeu dar voz “ao agravamento das condições de vida e de trabalho das mulheres”.

“Não podemos calar os retrocessos nos direitos das mulheres, continuando a afirmar que a pandemia não pode ser desculpa para fragilizar ainda mais a vida das famílias. Não podemos calar os problemas económicos e sociais justificados pela pandemia e exigimos a compensação justa e equilibrada para a saída desta situação. Não peçam às mulheres que aceitem a factura que nos querem passar, traduzida em mais desemprego, precariedade, baixos salários, intensos ritmos de trabalho e horários muito longos, agravamento da exploração e ainda no crescimento das múltiplas desigualdades e discriminações no trabalho, na maternidade, na família e na sociedade”, salientou o MDM.

A acção de rua não esqueceu também a luta por “melhores salários e melhores condições”.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Pedro Trindade Sena
Carregar mais artigos em Destaque Principal

Veja também

Santa Eulália: Festival Idade de Ouro arrancou no Dia Internacional do Idoso

Centenas de pessoas marcaram presença no primeiro de oito almoços englobados no Festival d…