O surto de covid-19 registado num lar privado em Estremoz, que provocou sete mortos, todos utentes, “está resolvido”, revelou hoje à agência Lusa a gerente da unidade, Sónia Linhol.
A responsável do Solar do Poço Coberto indicou que todos os restantes utentes, assim como as funcionárias, que estiveram infetados “já tiveram alta”.
“Os sete utentes que morreram tinham outras patologias associadas”, adiantou.
Neste surto, o novo coronavírus SARS-CoV-2, que provoca a doença covid-19, infetou um total de 39 pessoas, nomeadamente 28 dos 32 utentes do lar – incluindo os idosos que morreram – e 11 funcionárias.
O primeiro caso no lar foi detetado no dia 05 de fevereiro, quando uma funcionária fez um teste com resultado positivo para a SARS-CoV-2, tendo, no dia 08, sido testados todos os utentes e funcionários do lar, lembrou a gerente da casa de repouso.
A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.621.295 mortos no mundo, resultantes de mais de 117,9 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.
Em Portugal, morreram 16.635 pessoas dos 812.575 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.
A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

TCA // RRL
Lusa

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Covid-19

Veja também

Évora: Investigador universitário distinguido em prémio internacional

Um investigador da Universidade de Évora (UÉ), Germilly Barreto, foi um dos vencedores da …