Cerca de 200 pessoas concentraram-se hoje junto à assembleia de voto para as eleições presidenciais da freguesia de Bencatel, no concelho de Vila Viçosa, em protesto contra o corte definitivo de uma estrada nacional.
O protestou arrancou antes das 14:00, junto do pavilhão da Junta de Freguesia de Bencatel, onde se encontravam as duas secções de voto, com a concentração das pessoas ao longo da rua e sob o olhar atento da GNR, constatou a agência Lusa, no local.
Inicialmente, os manifestantes permaneceram em silêncio, mas, com o tempo, começaram a soar as buzinas dos carros e, depois, entoaram palavras de ordem, como “queremos uma estrada” e “queremos soluções”, e cantaram o hino.
Na varanda de uma casa situada nas proximidades, uma mulher exibiu um cartaz com a frase “não há estrada, não há votos”.
No meio da multidão, também um casal manifestou o seu descontentamento através de papéis colados nas costas, com fita-cola. No de um deles, podia ler-se “sem estrada”, enquanto o papel do outro complementava: “não votamos”.
Posteriormente, os manifestantes, uns a pé e outros de carro, rumaram até ao troço da Estrada Nacional 254 (EN) 254 que foi cortado ao trânsito definitivamente, na sexta-feira, pela Infraestruturas de Portugal (IP).
O troço da EN254, a pouco mais de um quilómetro da localidade, fazia a ligação direta a Vila Viçosa, sede de concelho.
Um dos manifestantes disse à agência Lusa que alguns automobilistas, perante o corte da estrada, estão a utilizar um caminho de terra batida paralelo à EN254, que foi criado num terreno privado.
O corte da estrada junto a Bencatel foi anunciado, na quarta-feira, em declarações à Lusa, por fonte oficial da IP, que alegou questões de segurança, devido à proximidade de uma pedreira.
A decisão está relacionada com a proximidade daquela estrada da pedreira “Monte d’el Rei”, que tem cerca de “134 metros de profundidade” e que se encontra a cerca de 30 metros da via, quando devia estar “a mais de 400 metros”, indicou então a mesma fonte.
A IP, que disse estar, juntamente com a câmara, a tentar “encontrar uma solução” alternativa para a circulação entre Vila Viçosa e Bencatel, indicou que a alternativa de circulação para veículos ligeiros deve ser a EN255.
Já a EN381, entre a EN4 e a vila de Redondo, é indicada pela IP como percurso alternativo dos pesados, durante as próximas duas semanas, enquanto não for feita uma intervenção na EN255.

Foto Agência Lusa/Nuno Veiga

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Destaque Principal

Veja também

Afinal aquilo que parece não é!

As micro, pequenas e médias empresas da restauração e outras, enfrentam e enfrentaram um m…