A afluência dos eleitores às urnas nas eleições presidenciais foi de 17,07% até às 12h00, de acordo com a secretaria-geral do Ministério da Administração Interna (MAI).

Em Elvas não há relato de incidentes, até ao momento, e as filas no exterior dos edifícios onde estão instaladas as secções e mesas de voto, sobretudo onde existem mais eleitores, são uma realidade fruto da obrigação de cumprir o distanciamento social devido à pandemia da covid-19.

A afluência está, assim, a ser mais expressiva do que há cinco anos atrás, onde até ao meio dia, em Portugal, tinham votado 15,82% dos votantes nas Presidenciais de 2016.

Para o sufrágio de hoje estão inscritos 10.865.010 eleitores, mais 1.208.536 do que nas eleições presidenciais de 2016, que são chamados a escolher o próximo Presidente da República, que irá suceder a Marcelo Rebelo de Sousa, existindo sete candidatos ao cargo.

Se um dos candidatos obtiver mais de 50% dos votos será eleito já hoje chefe de Estado, mas caso contrário haverá uma segunda volta, a 14 de Fevereiro, com os dois concorrentes mais votados.

Os sete candidatos aparecem no boletim de voto pela seguinte ordem: Marisa Matias (apoiada pelo Bloco de Esquerda), Marcelo Rebelo de Sousa (PSD e CDS/PP), Tiago Mayan Gonçalves (Iniciativa Liberal), André Ventura (Chega), Vitorino Silva (RIR), mais conhecido por Tino de Rans, João Ferreira (PCP e PEV) e a militante do PS Ana Gomes (PAN e Livre).

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Pedro Trindade Sena
Carregar mais artigos em Destaque Principal

Veja também

Movimento Cívico por Elvas constitui equipas de trabalho

O Movimento Cívico por Elvas reuniu, ontem, por videoconferência, para decidir a composiçã…