O equipamento de apoio que a Câmara de Évora cedeu ao hospital da cidade para a instalação de infetados com o vírus da covid-19 recebeu hoje os primeiros doentes, revelou fonte da unidade hospitalar.
A fonte do Gabinete de Comunicação de Marketing do Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE) indicou à agência Lusa que os primeiros três doentes foram transferidos hoje de manhã do edifício hospitalar para este espaço.
Segundo a mesma fonte, uma equipa multidisciplinar do HESE, constituída por médicos, enfermeiros, assistentes operacionais e assistentes sociais, vai prestar os cuidados aos doentes transferidos para o equipamento municipal.
A presidente do conselho de administração do HESE, Maria Filomena Mendes, já explicou que os “doentes das enfermarias do hospital que não necessitam já de cuidados hospitalares ou que necessitam de cuidados limitados vão aguardar a alta hospitalar neste espaço”.
Arrendado pela Câmara de Évora, o pavilhão onde vai funcionar o equipamento municipal de apoio a doentes covid-19 situa-se na zona industrial da Horta das Figueiras e recebeu, no mês de dezembro, obras de adaptação, desenvolvidas pelos serviços municipais.
O município alentejano precisou que esta estrutura é composta por três alas, num total de 34 camas numa fase inicial, mas que poderão chegar às quatro dezenas, dispondo ainda de refeitório para doentes, lavandaria e balneários.
Os profissionais de saúde e o pessoal auxiliar também têm à sua disposição várias zonas de trabalho, um espaço de refeições e uma zona de descontaminação.
De acordo com o município, a operação foi coordenada pelo Serviço Municipal de Proteção Civil em articulação com o HESE, mas os cuidados de saúde serão prestados pelos profissionais de saúde do hospital e sob sua orientação.
Este equipamento foi o segundo que a Câmara de Évora criou como resposta à pandemia do novo coronavírus, depois da instalação de uma estrutura semelhante na residência universitária Manuel Álvares, e significou um investimento a rondar os 75 mil euros, adiantou.
Devido ao aumento de casos de covid-19 na comunidade e à consequente subida do número de óbitos, o HESE teve necessidade de ampliar a capacidade de armazenamento da morgue do hospital, informou a unidade hospitalar.
Neste sentido, indicou o HESE, a capacidade foi aumentada no passado dia 28 de dezembro, com “recurso a câmaras frigoríficas colocadas em espaço hospitalar”, em articulação com a Proteção Civil e o Ministério da Justiça.
O mais recente relatório sobre a situação epidemiológica, divulgado pelo município, com dados de quinta-feira, indicou que existem no concelho de Évora 1.260 casos ativos do vírus que provoca a doença da covid-19.
A pandemia provocada pelo novo coronavírus já fez pelo menos 1.914.057 mortos em todo o mundo desde que foi notificado o primeiro caso na China, segundo o balanço diário da agência France-Presse.
Mais de 88.824.680 pessoas foram infetadas pelo novo coronavírus em todo o mundo, segundo o balanço, feito às 11:00 TMG (12:00 em Lisboa) de hoje com base em fontes oficiais.
Em Portugal, morreram 7.590 pessoas dos 466.709 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.
O estado de emergência decretado em 09 de novembro para combater a pandemia foi renovado com efeitos desde as 00:00 de 08 de janeiro, até dia 15.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Pedro Trindade Sena
Carregar mais artigos em Covid-19

Veja também

Covid-19: Elvas sem alterações no boletim epidemiológico nas últimas 24 horas

O concelho de Elvas não registou, nas últimas 24 horas, novos casos de pessoas infectadas …