Abriu há cinco meses no coração da cidade e já conquistou os elvenses. A Palad’art está na Rua da Cadeia, em Elvas, e é uma verdadeira casa alentejana, com certeza! Esta loja de produtos regionais é um desafio aos cinco sentidos e, este Natal, preparou cabazes repletos de sabor e qualidade a um preço imbatível.

Entrar na Palad’art é, logo de imediato, uma sensação de regresso às origens, à autenticidade e ao despertar dos cinco sentidos. Há o cheiro, o encanto nas diferentes cores dos enchidos ou da doçaria típica e, claro, não falta um cantinho para provar o que de melhor há na Palad’art.
José Lobo, de 41 anos, é o proprietário e gerente da Palad’art, cujo estabelecimento comercial é possível encontrar em Vila Viçosa e em Elvas. Centremo-nos neste último. No dia 11 de Julho, em plena pandemia, não houve tempo para receios e a Palad’art abriu no centro histórico da cidade.
Esta loja de produtos regionais alentejanos é a prova de que a boa qualidade é um ingrediente que vinga num espaço que, não sendo generoso em dimensão, é o ideal para desenvolver um negócio que se centra na identidade do Alentejo.
Com possibilidade de realizar actividades de degustação no exterior, aproveitando o espaço de lazer e a zona verde em frente à praça de táxis, José Lobo viu neste espaço a oportunidade ideal para abrir a segunda loja Palad’art.
Nela encontramos os enchidos regionais, o vinho, o pão, as compotas, o mel, as bolachas e licores alentejanos. Nem falta o “5º Fortim”, o Gin de Elvas, fabricado no concelho e vendido na Palad’art.
A doçaria de Elvas e de Vila Viçosa está presente, mas não faltam outros sabores com o selo de autenticidade alentejana. Nos salgados, a empada de porco preto é a coqueluche da casa e inclui farinheira, morcela, chouriço e ananás para cortar a gordura. Os queijos são de ovelha, cabra, vaca e há espaço para o apreciado Serra da Estrela amanteigado, enquanto os enchidos de porco preto e de porco branco são todos eles, sem excepção, provenientes do Alentejo e de locais como Alandroal ou Estremoz.
“São todos produtos das nossas terras e, ainda que existam outros produtos que não são de cá, acabam por ser iguarias pedidas pelos nossos clientes”, explica o proprietário.
Com o Natal ao virar da esquina, a Palad’art não esquece os sabores da quadra. Há nógados, azevias, filhoses com mel e sem mel.
O camarão tigre de Madagáscar também é possível adquirir para apreciar à mesa nos dias festivos. Para acompanhar os vinhos do Alentejo são uma referência, porém a diversidade existe e a loja dispõe de distintos néctares de outras regiões de Portugal. Os espumantes e os alvarinhos, que nesta altura do ano são muito procurados também estão disponíveis.
Para a sobremesa se não é fã dos doces típicos de Natal fique a saber que as suas escolhas não ficam limitadas porque a doçaria conventual é outra das marcas da Palad’art. No leque diversificado de opções para adoçar o paladar há o fidalgo, o pão de rala, os queijinhos do céu ou a encharcada.
O pão fresco diariamente é outro dos chamarizes da loja elvense que, além do pão de Alandroal, Estremoz e Santo Amaro, tem o pão da Confraria, um pão único em Portugal que é vendido apenas aos sábados e por encomenda. “É um pão sem fermento e muito característico do Alentejo”, revela o gerente, concluindo que “há um pouco de tudo” na Palad’art.
Abrir em Elvas, como sublinha José Lobo, foi uma aposta da qual não se arrepende o empresário que já foi catequista e comunicador em rádios locais em Borba, Elvas, Portalegre e Vila Viçosa.
A Palad’art apenas encerra no dia 11 de Janeiro, exceptuando os dias 25 de Dezembro e 1 de Janeiro. Durante esse período encontra-se aberta todos os dias, incluindo fins-de-semana e feriados, com um horário entre as 9 e as 13:30h e das 15:30 às 20 horas.

Para esclarecimentos adicionais ou reservas ligue 932 682 797

Cabazes de Natal com preços especiais para empresas

A época de Natal na Palad’art é sinónimo de uma atenção especial, não só para os habituais consumidores, mas também junto dos clientes empresariais.
Como explica José Lobo é possível encontrar cabazes de Natal, com produtos regionais, desde os 10 euros. “São preços especiais” para as empresas que oscilam entre os 10 e os 100 euros.
Uma caixa com três garrafas de vinho custa apenas 10 euros, mas a oferta estende-se desde os 15 euros para um cabaz constituído por um paio de porco preto, uma garrafa de vinho, um queijo, uma compota e uma garrafa de Moscatel. Para quem pretender cabazes mais elaborados, estes, incluem presunto de porco preto.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Ana Maria Santos
Carregar mais artigos em Empresas

Veja também

5 coisas que deveria saber antes de se sentar a uma mesa de poker

Conheça cinco ensinamentos essenciais para aqueles que estão a iniciar no mundo do poker e…