Mais de 300 condutores foram detetados a utilizar o telemóvel durante a condução, no âmbito da operação de fiscalização “Ao volante, o telemóvel pode esperar”, entre quinta-feira e segunda-feira, segundo um balanço divulgado hoje.
Em comunicado, a GNR adianta que durante as operações em várias zonas do país foram fiscalizados 25.404 veículos, tendo sido registado um total de 5.371 infrações, 341 das quais relativas ao uso do telemóvel durante a condução.
No período da campanha, registou-se, segundo a GNR, um total de 1.469 acidentes, de que resultaram três vítimas mortais, 18 feridos graves e 406 feridos ligeiros.
A Campanha de Segurança Rodoviária “Ao volante, o telemóvel pode esperar”, da responsabilidade da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), da Guarda Nacional Republicana (GNR) e da Polícia de Segurança Pública (PSP), decorreu nos dias 10 a 14 de dezembro e teve como objetivo “alertar os condutores para as consequências negativas e mesmo fatais do manuseamento do telemóvel durante a condução”.
Durante a campanha, foram realizadas ações de sensibilização da ANSR e operações de fiscalização pela GNR e PSP, com especial incidência em vias e acessos com elevado fluxo rodoviário.
“Embora tivesse sido previsto a realização de seis ações, em Lisboa, Faro, Loulé, Beja, Évora e Setúbal, devido às condições climatéricas adversas que se fizeram sentir durante o período da campanha, apenas foi possível efetuar as ações em Faro e Loulé, onde foram abordados 88 condutores”, é referido na nota.
Durante a campanha, as autoridades de segurança transmitiram aos condutores que a utilização do telemóvel durante a condução aumenta quatro vezes o risco de ocorrência de acidente de viação.
As autoridades destacaram também que a distração ocorre quando duas tarefas mentais, como conduzir e utilizar o telemóvel, são executadas ao mesmo tempo, levando a lapsos de atenção e erros de avaliação.
Alertaram também para o facto de o uso de aparelhos eletrónicos durante a condução causar dificuldade na interpretação da sinalização e desrespeito das regras de cedência de passagem, designadamente em relação aos peões.
Esta campanha está inserida no Plano Nacional de Fiscalização, enquadrado no Plano Estratégico Nacional de Segurança Rodoviária – PENSE 2020, que tem como desígnio “Tornar a Segurança Rodoviária uma prioridade para todos os Portugueses”.
O PENSE prevê a realização de campanhas de sensibilização em simultâneo com operações de fiscalização, em locais onde ocorrem regularmente infrações que representam um risco acrescido para a ocorrência de acidentes.

DD // SB
Lusa

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Actual

Veja também

Novas plantações de vinha no Alentejo limitadas a 250 hectares

O Governo fixou, a nível nacional e para este ano, limites máximos ao crescimento de novas…