A Câmara de Évora lançou uma campanha de estímulo ao consumo no comércio tradicional local para tentar “mantê-lo vivo” e minimizar os impactos provocados pela pandemia de covid-19 nas micro e pequenas empresas.
“A situação tem vindo a agravar-se em toda a economia, mas em particular nas micro e pequenas empresas e no comércio local. Há problemas de viabilidade e muitas estão com dificuldades”, afirmou à agência Lusa o presidente do município, Carlos Pinto de Sá.
Segundo o autarca, a câmara tem tomado medidas para ajudar os empresários, como a isenção de taxas, do pagamento do estacionamento no centro histórico aos sábados e da cobrança das esplanadas, lançando agora “uma campanha de promoção do comércio local”.
“É um apelo para que as pessoas comprem no comércio local”, sublinhou, adiantando que a campanha “está muito dirigida para o período do Natal e Ano Novo”, mas vai prolongar-se “até final de janeiro, com outras propostas” que estão a ser “acertadas com as associações do setor”.
A iniciativa vai ter “várias componentes”, como a colocação de ‘outdoors’ e publicidade nos órgãos de comunicação social, exemplificou. Também vai ser distribuído pelo comércio papel de embrulho e sacos de promoção.
Com o mote “Este Natal ofereça uma prenda a Évora, faça compras no comércio local”, a campanha inclui também a criação de um selo “Eu compro em Évora” e a placa para a porta dos estabelecimentos “aberto/fechado”.
De acordo com o município, a suspensão da cobrança do estacionamento tarifado aos sábados está em vigor até 09 de janeiro de 2021.
No próximo ano, realçou a autarquia, as taxas municipais cuja regulação só dependa do município “não terão aumentos” e, para as empresas mais afetadas pela crise provocada pela pandemia de covid-19, serão “inclusivamente suprimidas”.
As empresas com um volume de negócios até 150 mil euros ficarão isentas do pagamento de Derrama e o valor cobrado do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) para prédios urbanos vai sofrer “uma redução de 0,44% para 0,43%” (o limite legal máximo é de 0,45% e o mínimo de 0,3%).

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Destaque Principal

Veja também

AHRESP defende criação de apoios para vítimas dos incêndios

AHRESP defende criação de apoios para vítimas dos incêndios …