Dos 97 utentes do lar Mansão de São José, em Beja, infetados com o novo coronavírus, 58 vão ser transferidos no sábado para a Base Aérea 11 (BA11), em Beja, revelou hoje o presidente da Câmara Municipal.
Em declarações à Agência Lusa, o autarca Paulo Arsénio explicou que a transferência dos 58 utentes da instituição foi decidida pelas autoridades de Saúde locais e visa “descongestionar o espaço” do lar, “que, aparentemente, tem pessoas em excesso”.
“Para descongestionar o espaço, vão retirar as 58 pessoas que estão em melhores condições físicas e de mobilidade, mantendo na unidade”, situada na zona histórica da cidade de Beja, os restantes 27 utentes “que têm mais dificuldades de locomoção e autonomia”, disse.
O presidente do município alentejano precisou que os 58 utentes do lar Mansão de São José transferidos para a BA11 serão instalados num edifício “que tem vindo a ser preparado desde o mês de abril precisamente para uma finalidade com estas características”.
“Foi adaptado um espaço na BA11 com 70 camas precisamente para que, quando no distrito ocorresse uma situação de emergência de grande dimensão num lar, pudessem as pessoas ir para lá nas melhores condições”, acrescentou.
Paulo Arsénio vincou que esta “é a melhor solução” que existe no concelho “para ser usada nestas circunstâncias” e que os 58 utentes ficarão na BA11 “até o grupo estar totalmente recuperado”.
Para apoiar estas pessoas, a Câmara de Beja contratou uma empresa de prestação de serviços na área da geriatria, cujos primeiros “14 auxiliares chegam amanhã [sábado] à BA11”, anunciou o presidente da autarquia.
O surto de covid-19 no lar Mansão de São José foi confirmado na quarta-feira, depois de utentes e funcionários terem sido testados à presença do SARS-CoV-2 na sequência da confirmação de dois casos positivos, uma utente e uma funcionária.
A despistagem foi feita pelo Algarve Biomedical Center (ABC), que na quarta-feira confirmou mais 95 casos positivos, entre utentes e funcionários.
Contactada pela Lusa, na quarta-feira à noite, fonte da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA) adiantou que 126 pessoas daquela Estrutura Residencial para Pessoas Idosas de Beja tinham sido testadas à presença do coronavírus SARS-CoV-2.
Deste total, foram detetados 97 casos positivos de covid-19, 14 negativos e 15 inconclusivos, indicou.
No que respeita aos utentes, foram testadas 89 pessoas, das quais 83 tiveram resultados positivos, uma resultado negativo e cinco resultados inconclusivos, segundo a ULSBA.
Foram feitos testes a 37 funcionários, sendo que 14 deles tiveram resultados positivos, 13 resultados negativos e 10 resultados inconclusivos.
Na quinta-feira, “uma equipa de saúde composta por médicos e enfermeiros do Hospital José Joaquim Fernandes e dos Cuidados de Saúde Primários” deslocou-se ao lar “para avaliar o estado de saúde dos utentes” na instituição.
Nesta sexta-feira a ULSBA confirmou que três idosas utentes do lar Mansão de São José, de 88, 89 e 90 anos, estão internadas no hospital da cidade com covid-19, apresentando um quadro clínico “estável”.
Perante estes números, o presidente da Câmara de Beja admitiu à Lusa o receio de o surto de covid-19 se alastrar pela comunidade, até porque o grupo proprietário da Mansão de São José tem outro lar no concelho.
O autarca alentejano acrescentou esperar que “a situação não se agrave substancialmente”, uma vez que em Beja não existem mais espaços com condições para acolher idosos numa situação semelhante.
“Se houver mais algum lar de Beja a passar por uma situação destas em simultâneo vamos ter de recorrer à ajuda da Comissão Distrital de Proteção Civil, no sentido de encontrar espaços em concelhos limítrofes”, garantiu Paulo Arsénio.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Covid-19

Veja também

Portugal regista mais 19 mortos e 2.577 infectados. Alentejo com 44 novos casos e uma morte

Portugal contabiliza hoje mais 19 mortos relacionados com a covid-19 e 2.577 casos confirm…