Um grupo de moradores e comerciantes do centro histórico de Évora está contra as alterações introduzidas pela câmara municipal ao trânsito automóvel, mas o município alega que as mudanças são temporárias e um teste.
“O trânsito que se acumula na rotunda da Lagoa”, uma das entradas do centro histórico, “já era caótico, mas ficou ainda mais congestionado”, afirmou hoje à agência Lusa Paulo Perdigão, comerciante e um dos promotores de um abaixo-assinado.
Segundo este comerciante, o abaixo-assinado contras as alterações no trânsito automóvel, com 134 assinaturas de moradores e de proprietários e funcionários de lojas do centro histórico, foi entregue esta semana na Câmara de Évora.
Em causa, explicou o promotor do abaixo-assinado, estão as alterações do sentido de circulação do trânsito nas ruas Gabriel Victor do Monte Pereira, de Santa Catarina e dos Caldeireiros.
“Os moradores e comerciantes” desta zona do centro histórico de Évora têm a rua da Lagoa como “única alternativa” para chegar de automóvel às suas casas e negócios, referiu Paulo Perdigão, exigindo o fim das alterações para “facilitar a vida a todos”.
“Podia-se circular, por exemplo, da Praça do Giraldo até à Escola de São Mamede e, agora, tem que se sair do centro histórico para voltar a entrar na rua da Lagoa”, disse, alertando para o congestionamento do trânsito, aos finais de tarde, na circular junto às muralhas.
Contactado pela Lusa, o presidente da Câmara de Évora, Carlos Pinto de Sá, afirmou que “as alterações de trânsito não são definitivas” e que foram introduzidas “como teste” para avaliar se eram “exequíveis e melhoravam a mobilidade do centro histórico”.
As medidas foram adotadas no âmbito da Semana Europeia da Mobilidade, realizada em setembro, adiantou, indicando que o município decidiu “prolongar os testes, até final de outubro, para residentes e comerciantes poderem manifestar as suas opiniões”.
“Temos recolhido um conjunto de informações, umas favoráveis e outras desfavoráveis, para, depois, fazermos uma avaliação sobre se avançaremos ou não com as alterações”, frisou o autarca.
Para além de ter alterado o sentido de circulação nas ruas do Raimundo, Gabriel Victor do Monte Pereira, de Santa Catarina e dos Caldeireiros, a Câmara de Évora também criou novas zonas de circulação pedonal da cidade.
As novas zonas pedonais foram criadas nas ruas do Raimundo e de Avis (apenas durante o fim de semana), também no centro histórico, que vão funcionar, pelo menos até final de outubro, quando será feita nova avaliação das alterações introduzidas.
Segundo a autarquia, as alterações estão a ser implementadas no âmbito da estratégia municipal para a defesa do ambiente e mobilidade urbana, que contempla, entre outros, o objetivo de alargar gradualmente as áreas reservadas à circulação pedonal.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Região

Veja também

Polícia Judiciária detém suspeito de pornografia de menores em Évora

A Polícia Judiciária (PJ) anunciou a detenção, em flagrante delito, de um homem de 56 anos…