Sessenta empresas ligadas ao setor agroalimentar no Alentejo vão poder integrar um projeto de internacionalização dos seus produtos em vários países europeus, numa operação lançada por três associações empresarias daquela região, foi hoje divulgado.
O projeto “Alentejo Global Export” está a ser desenvolvido pelo Núcleo Empresarial da Região de Évora (NERE), Núcleo Empresarial da Região de Portalegre (NERPOR), e NERBE/AEBAL – Associação Empresarial do Baixo Alentejo e Litoral.
“Nós temos de trazer forçosamente as microempresas para os mercados de exportação, que têm exigências especiais, porque se essas microempresas não vierem para a exportação nunca conseguiremos atingir as metas a que o país se propõe”, disse hoje aos jornalistas o presidente do NERPOR, Jorge País, à margem da apresentação do projeto, em Portalegre.
Esta operação, financiada por fundos comunitários e envolvendo um envelope financeiro que ronda os 800 mil euros, vai decorrer até dezembro de 2021, tendo como alvo atingir os mercados de Espanha, Alemanha e Benelux.
O projeto visa criar um catálogo digital de empresas e produtos de apoio às ações internacionais, ações de prospeção aos mercados alvo, visitas de reconhecimento de prospetores internacionais ao Alentejo, participação numa feira internacional, realização de “roadshows” internacionais, elaboração de guias de mercado, a realização de um fórum internacional e campanhas de ‘marketing’.
As empresas vão poder aderir a este projeto “gratuitamente”, através do endereço do sítio na Internet: www.alentejoexport.pt, ou através de contactos com as três associações empresariais.
“Aquilo que nós pretendemos é chamar à atenção e apoiar e ajudar as empresas a atingir esse grau de qualidade e competitividade para entrarem no mercado e abrir os canais, abrir as portas, porque muitas vezes as empresas até dispõem de produtos interessantes e competitivos, mas andam um pouco perdidas sem saber a que portas bater e encontrar os canais de distribuição nesses países”, disse.
O “Alentejo Global Export” divide-se em duas operações, sendo a primeira denominada por “Alentejo Agro+Global”, destinada a todos os países alvo deste projeto de internacionalização das empresas, e o “Alentejo Gourmet”, apenas para empresas que se dediquem a este tipo de fileira, tendo apenas como alvo a “atacar” o mercado germânico.
Do conjunto de países que este projeto pretende conquistar, Jorge Pais destaca a vizinha Espanha, como sendo um país que Portugal tem de “redescobrir”, devido à pandemia de covid-19.
“Há muito ainda a trabalhar aqui em Espanha e com esta proximidade, para empresas desta nossa dimensão, fica naturalmente mais fácil. Pensamos estar em condições de redescobrir Espanha, de orientar as empresas que estavam já a exportar para Espanha e que agora tiveram o impacto desta recessão, de conseguir compensar e encontrar outros clientes no mercado espanhol para atenuar essas perdas”, disse.
O presidente do NERPOR fez ainda questão de explicar aos jornalistas que este programa “não exclui à partida” enquadrar outro tipo de empresas no projeto, no sentido de reforçar a oferta.
“Nós não excluímos, à partida, enquadrar empresas de outros setores que até numa parceria, entendimento ou num acordo com uma empresa agroindustrial possa integrar-se e incluir-se neste apoio”, disse.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Destaque Principal

Veja também

Covid-19: Monforte, Castelo de Vide e Fronteira entre os concelhos que passaram oito meses quase sem casos confirmados

Passados quase oito meses desde o início da pandemia de covid-19 em Portugal, nove municíp…