O desenvolvimento do distrito de Portalegre esteve em destaque na Conferência Nacional do Partido Socialista que segunda-feira, dia 31 de Agosto, marcou o início do ano político.

A construção da Barragem do Pisão e a aposta em infra-estruturas de comunicação rodoviárias, como a ligação entre Nisa e Cedillo (Espanha) foram duas das medidas enunciadas pelo Secretário-Geral do PS e Primeiro-Ministro do Governo português, António Costa.

Perante uma plateia em que se cumpriram as normas da Direcção-Geral de Saúde e que contou com a presença dos deputados e dos autarcas do Alto Alentejo, a região esteve em destaque quando, sob o lema “Recuperar Portugal”, António Costa elencou uma série de projectos que estão na visão estratégica para o plano de recuperação do país e foram objecto de debate neste dia de trabalhos.

A barragem do Pisão foi mencionada pelo primeiro-ministro como um projecto de tal forma estruturante que se pretende ser o que o Alqueva foi para o resto da região Alentejo. “Iremos avançar com algo que é fundamental para podermos fazer no Alto Alentejo o que o Alqueva constituiu no restante Alentejo, que é avançar com a Barragem do Pisão, absolutamente imprescindível para o desenvolvimento do distrito de Portalegre”, afirmou António Costa.

Referiu ainda a importância da construção da ligação rodoviária entre Nisa e Cedillo, uma reivindicação antiga que, a par de outras obras transfronteiriças, atribuam um papel mais importante a estas regiões no contexto ibérico. “Esta é a oportunidade para fazermos, de Norte a Sul, aquelas pequenas ligações que há muito estão pensadas e foram sendo adiadas. (…) É a ligação entre Nisa e Cedillo. (…) Todas essas pequenas ligações são ligações fundamentais para que o Interior deixe de ser Interior e seja, pelo contrário, o eixo de articulação deste grande mercado ibérico que nós temos de construir”, concluiu António Costa.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Política

Veja também

Moedas de um e dois cêntimos com fim à vista? Comissão Europeia avalia

A Comissão Europeia lançou uma consulta pública para avaliar o impacto sobre a utilização …