“Francisco de Holanda em Évora – Nascimento de um Artista Humanista (1534-1537/1544-1545)” é o título da exposição produzida pela Direcção Regional de Cultura do Alentejo (DRCAlentejo) que se encontra patente no Museu Nacional Frei Manuel do Cenáculo, onde pode ser visitada até ao próximo dia 30 de Agosto, de terça a domingo, entre as 9,30h e as 13 horas e das 14h às 17,30h.
Com comissariado científico de Sylvie Deswarte-Rosa, a mostra dá a conhecer ao público o ambiente intelectual e artístico dos anos de formação de Francisco de Holanda em Évora e integra obras como pinturas, iluminuras, livros ou manuscritos.
Nascido em Lisboa por volta de 1517, Francisco de Holanda, pintor e humanista, filho do ilustre iluminador António de Holanda, foi um dos mais relevantes expoentes da reflexão estética no renascimento português. Iniciado nos domínios da arte da iluminura e do retrato na oficina de seu pai, Holanda viveu primeiro em casa do infante D. Fernando, em Lisboa e Abrantes e depois junto do cardeal-infante D. Afonso, em Évora, período que foi essencial à sua formação e ao que viria a ser o seu papel enquanto artista plástico, tratadista e esteta.
Em Évora, nos anos 30 do século XVI, Francisco de Holanda recebe uma formação humanista trabalhando particularmente com André de Resende à volta do passado clássico (romano) na preparação de uma viagem que reforçaria da formação eborense e alteraria, muito significativamente, o rumo e a influência da cultura italiana nos meios artísticos e culturais nacionais. Depois de Roma, durante uma nova estadia da corte de D. João III em Évora, entre 1544-1545, Holanda dará início à execução das imagens da Criação do Mundo para a sua obra magistral De Aetatibvs Mvndi Imagines.
Cofinanciada no âmbito do programa ALENTEJO 2020, a exposição é constituída por obras provenientes de diversas entidades nacionais e regionais, entre as quais museus, bibliotecas e arquivos, integra o projecto Rede de Museus de Évora e constitui o contributo da DRCAlentejo no contexto da parceria de programação cultural de ÉVORA 2027 – Cidade Candidata a Capital Europeia da Cultura.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Nuno Barraco
Carregar mais artigos em Região

Veja também

Elvas: Câmara preocupada com actos de vandalismo

O Jardim das Laranjeiras, em Elvas, voltou a ser alvo de actos de vandalismo, tendo sido d…