Os municípios de Serpa, Barrancos, Mértola, Moura e Mourão, no Alentejo, criaram a Bio Região da Margem Esquerda do Guadiana (MEG) para a gestão sustentável de recursos com base em modelos de produção biológica certificados.O documento que oficializa a criação da quarta bio região em Portugal foi assinado sexta-feira, dia 25, durante a sessão de adesão da MEG à Rede Internacional de Bio Regiões, explicou a Câmara de Serpa, no distrito de Beja, num comunicado enviado à agência Lusa.Segundo o município, na sessão foi assinado o regulamento interno da MEG e entregue o certificado da adesão àquela rede internacional, que reúne cerca de 50 territórios bio existentes em todo o mundo.”A MEG assume uma estratégia conjunta para a gestão sustentável dos recursos com base em modelos de produção certificados em modo de produção biológico” e “no respeito e na valorização dos recursos locais”, explica o município.De acordo com a autarquia, “a força deste modelo é assente numa estratégia” que envolve agricultores, associações, empresários de turismo e outros setores económicos e escolas, os quais, “em articulação com o poder local, cumprem objetivos comuns que permitem apresentar e defender o território como um coletivo comprometido com as produções biológicas”.A Câmara de Serpa refere ainda que, ao abrigo do Programa de Desenvolvimento Rural de Portugal para o período de 2014-2020 (PDR 2020), já foi aprovado um pedido de apoio que garante financiamento para a dinamização da Bio Região da MEG na fase inicial.
LL // MLMLusa

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Região

Veja também

Encontrada com vida mulher desaparecida na sexta-feira em Ponte de Sor

A mulher de 75 anos que estava desaparecida desde sexta-feira à tarde no concelho de Ponte…