A PJ identificou e deteve um homem por suspeita de ser o autor de dois crimes de incêndio florestal agravado, ocorridos no passado dia 10 de agosto em Elvas. A Diretoria de Lisboa e Vale do Tejo da PJ actuou em estreita colaboração com a PSP de Elvas.

Segundo um comunicado da PJ, o incêndio em causa ocorreu numa zona florestal dentro do perímetro urbano da cidade ocupada por oliveiras e foi provocado pelo ora detido sem causa aparente, numa altura em que se encontrava fortemente alcoolizado. O incêndio em questão terá sido posto na vegetação rasteira existente no local dos factos com recurso a chama direta e provocou a destruição de cerca de 0,5 hectares de coberto vegetal, incluindo danos por carbonização nas árvores ali existentes. Para além disto provocou perigo para os edifícios próximos, perigo esse que só não foi concretizado devido à rápida intervenção dos bombeiros.

O incêndio em questão atingiu razoável intensidade, tendo sido combatido por 22 bombeiros e três viaturas de quatro corporações, durante cerca de uma hora.

O arguido, de 50 anos de idade, não tem antecedentes criminais. Trata-se contudo de indivíduo sem fontes de rendimento conhecidas e com hábitos de alcoolismo.

O detido será presente a primeiro interrogatório na Instância Local de Elvas para interrogatório e aplicação da medida de coação tida por adequada.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Actual

Veja também

Espanha: Extremadura com 184 novos casos. País regista mais de 10 mil infeções e 241 mortes num dia

Na região da Extremadura foram reportados 183 novos casos e dois falecimentos, nas últimas…