A União dos Sindicatos do Norte Alentejano marcou presença em Sousel, um dos concelhos incluídos na agenda do Presidente da República para uma visita de dois dias ao distrito de Portalegre, para um protesto junto ao Centro Escolar inaugurado pelo Chefe de Estado. Segundo a USNA, os professores foram convocados, “contra a sua vontade, a chamarem as crianças que estavam de férias para estarem presentes na inauguração oficial”.

Os sindicatos acrescentam, num comunicado entregue a um assessor do PR, que o distrito vive situação de acentuada degradação das condições de vida da sua população: “Com um nível de desemprego total a rondar os 10 mil desempregados, um empobrecimento escandaloso com cerca de 60% da população a auferir mensalmente menos de 300 euros e um aumento de 18% de insolvências desde o início do ano”.

A USNA refere “anos de ausência de investimento do estado” na região, mas também a “degradação dos serviços públicos, com encerramentos e redução de horários e falta de meios materiais e humanos” como causas da degradação das condições de vida no distrito de Portalegre.

Após a inauguração do novo centro escolar de Sousel, o chefe de Estado seguiu para Portalegre, onde visitou a fábrica de polímeros da Evertis Ibérica e uma exposição na Câmara Municipal.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Actual

Veja também

Incêndio em exploração pecuária alentejana matou cerca de mil leitões

O incêndio que deflagrou na quarta-feira numa exploração pecuária no concelho de Ferreira …