A Escola Secundária Dom Sancho II, em Elvas, é uma das 21 escolas portuguesas que vão começar, no próximo ano lectivo, a disponibilizar aos alunos o ensino do Mandarim.

Os professores serão chineses e vão contar com o apoio de oito instituições portuguesas de ensino superior para ensinar os estudantes do 10.º ano que queiram aderir ao projecto-piloto, que permite aprender mandarim como língua estrangeira.
O ensino da língua está previsto em duas escolas algarvias (Faro e Loulé), cinco escolas coordenadas pela Universidade de Aveiro (situadas em Oliveira de Azeméis, Santa Maria da Feira, São João da Madeira, Coimbra e Aveiro), outros cinco estabelecimentos que serão coordenados pela Universidade de Lisboa (duas escolas em Lisboa e outras duas em Almada e uma em Vila Franca de Xira) e a Escola Secundária de Elvas, com a colaboração da Universidade de Évora.

Quatrocentos alunos do ensino secundário de 21 escolas portuguesas vão começar a aprender mandarim no próximo ano lectivo, segundo o protocolo celebrado hoje, dia 14 de Julho, entre o Ministério da Educação e o Instituto Confúcio da República Popular da China.
Haverá ainda outras três que vão contar com o apoio da Universidade do Minho (em Braga, Guimarães e Matosinhos), segundo dados do MEC.
Os institutos politécnicos de Viseu e Castelo Branco (que vão trabalhar com uma escola de Viseu e outra de Castelo Branco, respectivamente) e o politécnico de Leiria, que irá dar apoio a três escolas de Leiria, Alcobaça e Marinha Grande, fazem parte da lista dos 21 estabelecimentos de ensino secundário que vão ter o mandarim como opção.

De recordar que, o mandarim é actualmente a língua mais falada em todo o mundo e uma das mais difíceis de aprender.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Actual

Veja também

Estremoz: Exposição “Histórias do Campo e outros lugares” inaugurada no museu municipal

A exposição intitulada “Histórias do Campo e outros lugares” com trabalhos em escultura, d…