Todos os anos assistimos à atribuição dos Prémios Nobel, por vontade do seu criador Alfred Nobel. Esses prémios contemplam diversas áreas, mas a Matemática não é uma delas. Porque é que não existe Prémio Nobel da Matemática? A resposta a esta pergunta tem sido alvo de especulações e de histórias ao longo dos anos, existindo várias possíveis justificações.

A mais popular delas defende que o motivo terá sido uma mulher. Segundo as “más-línguas”, o matemático sueco Gösta Mittag-Leffler teve um “affair” com a mulher de Nobel e este, por vingança, não premiou a Matemática. Esta é a versão franco-americana. No entanto, temos de chamar a atenção para o seguinte: Nobel nunca foi casado, mas teve uma amante, a vienense Sophie Hess, e não parece que tenha havido qualquer ligação entre ela e Mittag-Leffler, pelo que é pouco provável que se consiga provar a veracidade desta versão.
A outra possível resposta – segundo a versão sueca – tem a ver com o facto de Mittag-
-Leffler ter sido um matemático importante na Suécia na época em que Nobel escreveu o seu testamento. Havendo um prémio para a Matemática, Mittag-Leffler poderia “mexer os cordelinhos” para que fosse o primeiro premiado, o que não seria do agrado de Nobel, em particular por supostamente haver um “atrito” entre os dois. De facto, Nobel fez dois testamentos: o primeiro, a 14 de Março de 1893, em que cedia parte do seu legado à Universidade de Estocolmo; o segundo, a 10 de Dezembro de 1895, já não incluía esta universidade, cujo reitor era, na altura, Mittag-Leffler. Contudo, não há provas de que Nobel e Mittag-Leffler se tenham relacionado, por isso esta versão pode não corresponder à verdade.
Nobel deixou a maior parte da sua herança a uma fundação que premiasse, anualmente, quem se distinguisse nas áreas pelas quais se interessava: Física, Química, Medicina, Literatura e Paz.
Portanto, talvez não haja Prémio Nobel para a Matemática, simplesmente porque Nobel não tinha qualquer interesse por ela.
Para colmatar esta “falha”, no Congresso Internacional da Matemática de 1924, em Toronto, John Charles Fields idealizou e criou a Medalha Fields: o “Nobel” da Matemática.

Clara Carlota, Professora do Departamento de Matemática, ECT da Universidade de Évora
Sílvia Chá, Doutorada em Matemática pela Universidade de Évora

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Uncategorized

Veja também

Estremoz: Cozinha dos Ganhões promove gastronomia da região

A 28ª edição da Cozinha dos Ganhões decorre até domingo, dia 4 de Dezembro, em Estremoz, c…