O ministro Paulo Macedo, titular da pasta da saúde no governo português, participou hoje no ForoHoy, em Badajoz, onde proferiu uma conferência subordinada ao tema “Portugal, um Sistema Nacional de Saúde perante a crise”. O encontro, que contou com a participação das mais altas individualidades políticas e empresariais ligadas ao sector da saúde Extremenhas e também do Alentejo, foi organizado pelo diário Hoy.
Paulo Macedo destacou as reformas empreendidas por Portugal nesta matéria que, na sua opinião, foram reconhecidas pela União Europeia, ao mesmo tempo que assegurou que foi dada uma resposta forte para paliar na população portuguesa o impacto da crise.
Paulo Macedo, apesar de afirmar que existe ainda muita coisa a melhorar, valorizou a situação actual da saúde em Portugal, a qual considera que sofreu uma “evolução positiva durante os últimos 40 anos”, tendo em conta outros aspectos e outros sectores da vida portuguesa, estando, aos dias de hoje, “bastante bem posicionada” face às suas congéneres europeias.
O ministro referiu na sua palestra, seguida atentamente por dezenas de convidados no decorrer de um pequeno almoço, que Portugal ocupa a 36ª posição no ranking da competitividade sanitária, tabela que é composta por 144 países, no qual Espanha ocupa o 35ª posto.
Paulo Macedo reconheceu que a crise económica teve um impacto em todas as áreas do país, mas a saúde foi e é, de longe, o sector “mais difícil de gerir” devido ao impacto que a saúde tem nos utentes. Apesar disso, o titular considera que o governo soube dar uma resposta pública muito “forte”, complementando a oferta publica com a privada, ao mesmo tempo que realizou um grande esforço para pagar dívidas acumuladas perante os credores, no sentido de se minimizar a ameaça de corte no abastecimento das unidades de saúde pública.
Paulo Macedo destacou igualmente o esforço que tem sido efectuado na prevenção, legislando para reduzir o consumo de tabaco e do álcool ao mesmo tempo que se procura incutir hábitos saudáveis na população, dando especial enfoque nas reformas que estão em curso para reduzir em 50%, num período de três anos, as infecções hospitalares em 12 hospitais do país.
À palestra assistiram, entre outros, os comendadores Rui Nabeiro e António Cachola, o presidente da Administração Regional de Saúde do Alentejo, José Robalo, o cabeça de lista do Partido Popular à autarquia de Badajoz e actual presidente, Francisco Javier Fragoso, o candidato do partido socialista espanhol à la Presidência da Junta da Extremadura, Guillermo Fernández Vara ou o ex-presidente autonómico Juan Carlos Rodríguez Ibarra.
De realçar a pontualidade e a organização com que este tipo de eventos são tratados do lado de lá da fronteira. A palestra começou à hora marcada com a intervenção do presidente do Ayuntamiento de Badajoz, Francisco Fragoso, a destacar o currículo e a enumerar a actividade profissional de Paulo Macedo enquanto que no final, também à hora estipulada, o director do diário Hoy, Angel Ortíz, moderou as perguntas que foram previamente formuladas, por escrito, por diversos membros presentes no fórum.
Foto: Hoy

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais artigos por Redacção
Carregar mais artigos em Actual

Veja também

Estremoz: “Mercado do Lago” no sábado

A 11.ª edição da iniciativa “Mercado do Lago”, em Estremoz, dedicada ao artesanato urbano,…